sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Eslováquia é contra isolamento da Ucrânia

Os relatos que chegam da Ucrânia são cada vez mais alarmantes. Várias cidades do oeste do país – Lviv, Ivano-Frankovsk, Ternopol – estão assediadas por distúrbios.

Em Uzhgorod, na fronteira com a Eslováquia, os manifestantes tomaram o edifício da administração regional da Transcarpátia, arrombaram as portas, fizeram saír os funcionários. Na ação participaram cerca de 1000 pessoas.

Outrora, em tempos soviéticos, nos dias de maio aqui abriam a fronteira, e os habitantes locais de ambos os lados plantavam juntos um “jardim de amizade”. Hoje a Eslováquia está extremamente receosa sobre essa sua fronteira com a Ucrânia. Eis o que disse numa entrevista exclusiva à Voz da Rússia a secretária de imprensa do primeiro-ministro da Eslováquia Beatrice Szaboova:

“Numa reunião do governo, o ministro do Exterior Miroslav Lajcak informou sobre a situação na Ucrânia. Posso dizer que nós estamos profundamente preocupados com a violência na qual resultou o confronto entre as autoridades e a oposição, tanto em Kiev como em outras cidades ucranianas. Como resultado, dezenas de pessoas foram mortas e centenas ficaram feridas. O governo da Eslováquia condena todas as formas de violência, apela a por-lhe um fim imediatamente e rejeitá-la totalmente no futuro. Em nossa opinião, a única maneira constitucional de sair da crise poderão ser negociações entre o governo, a oposição e a sociedade civil. Só elas podem levar a uma reforma constitucional necessária, a eleições presidenciais democráticas e transparentes. A República Eslovaca gostaria de ver uma Ucrânia estável, democrática e próspera. Opomo-nos ao seu isolamento, porque isso não atende aos interesses ucranianos nem eslovacos.

Proximamente, o Conselho de Segurança da Eslováquia se reunirá para debater os acontecimentos na Ucrânia. Ele confirmará que está pronto para responder rapidamente a mudanças da situação. A fronteira com a Ucrânia está sendo constantemente monitorada. Mas até agora não temos registrado nem um aumento do fluxo de imigração nem uma demanda elevada por vistos. No entanto, em caso de um desenvolvimento perigoso ligado à violência e anarquia, seguirá uma reação imediata do lado eslovaco”.

Voz da Rússia

Nenhum comentário :

Postar um comentário