quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Analista militar: sistemas S-500 têm todas as chances de se tornar uma arma lendária

A Força Aeroespacial russa começará a receber sistemas de defesa antiaérea S-500 em 2020. A nova arma será muito mais sofisticada do que o S-400, que já está em serviço nas Forças Armadas do país.
Exibição do sistema de mísseis S-400 no território da unidade militar de mísseis do Distrito Militar do Sul em Teodósia, na Crimeia
O analista militar Viktor Baranets explicou em detalhes para serviço russo da Rádio Sputnik quais são as características mais destacadas do "Prometeu" russo.


"A principal diferença do S-500 reside em ter um sistema de ataque separadamente para alvos balísticos e aerodinâmicos. Podemos dizer que o S-400 é um sistema de defesa antiaérea que destrói alvos na atmosfera, isto é, a uma altitude de até 100 quilômetros. O S-500, por sua vez, é capaz de alcançar o espaço próximo", afirmou.

Baranets consulta aos analistas estrangeiros que "monitoram os testes do novo sistema e dizem que o S-500 é adequado para aniquilar mísseis balísticos intercontinentais do inimigo a uma altitude de até 600 quilômetros".
O entrevistado explicou que a arma russa pode até neutralizar alvos hipersónicos, ou seja, voando a uma velocidade cinco vezes superior à do som. Além disso, o "Prometeu russo" será capaz de destruir satélites inimigos em órbita baixa.
O especialista russo acrescentou que a criação do S-500 persegue um objetivo adicional.
"Os Estados Unidos estão deslocando seu sistema de defesa antimíssil na Europa, que tem como objetivo derrubar os mísseis balísticos intercontinentais russos baseados em silos. O S-500 foi projetado para defender este tipo de projétil, para que possam ser liberados, e seguir a sua trajetória de voo", acrescentou.
O sistema S-500 obteve a "luz verde" de ser incorporado às Forças Armadas russas, para se tornar um dos elementos-chave de defesa antimíssil da Rússia, enfatizou Baranets, acrescentando que os militares russos esperam com interesse a entrada em serviço desta arma.
"O sistema tem um apelido muito bom, 'Prometeu'. O Exército russo esperava por este sistema há muito tempo. Acho que o S-500 tem uma reputação ainda melhor do que a do lendário S-400, o sistema de mísseis Iskander ou os mísseis de cruzeiro Kalibr, que participaram da luta contra o terrorismo na Síria", disse Viktor Baranets.
A Força Aeroespacial russa começará a incorporar a nova arma de defesa antiaérea S-500 em 2020, segundo informou o comandante-adjunto da Força Aeroespacial russa, tenente-general Viktor Gumenny.
O S-500 pertence aos sistemas de mísseis terra-ar de nova geração e será capaz de interceptar mísseis balísticos, alvos aerodinâmicos (aviões e helicópteros) e mísseis de cruzeiro.
sputniknews

Nenhum comentário :

Postar um comentário