quarta-feira, 26 de setembro de 2018

A RÚSSIA VAI INICIAR A PRODUÇÃO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO E CARROS NA SÍRIA

Em 21 de setembro, o ministro do Comércio e Indústria da Rússia, Denis Manturov, anunciou os planos do país para iniciar a produção de materiais de construção e carros na Síria, que serão exportados para países terceiros.



Conforme citado pela TASS durante uma conferência de imprensa após a reunião do subcomitê russo-chinês para cooperação no campo da indústria, Manturov disse que os países estão atualmente discutindo a opção da produção russa de materiais de construção e carros na Síria.


“Temos cooperado com a Síria por um longo tempo para fornecer equipamentos de construção de estradas, materiais de construção e organizar a produção lá”, disse Manturov.
O ministro do Comércio e Indústria não especificou quais empresas serão estabelecidas, quem serão seus principais participantes, sob qual marca os produtos serão produzidos. Ele confirmou, no entanto, que será dentro da indústria de transporte e construção de energia, assim como a automotiva.

“O que virá primeiro, em vista da restauração, serão materiais de construção. A organização da produção é para a produção de materiais de construção, que devem ser usados ​​no mercado local”, segundo Manturov, citado pela RIA Novosti.
Manturov também expressou a esperança de que os materiais de construção possam ser entregues para além do mercado sírio, para outros países da região.

“Se esses produtos forem competitivos, eles terão que ser entregues aos países vizinhos do estabelecimento sírio”, disse o ministro.
A Rússia já está procurando construir suas próprias bases de produção na Síria. Em fevereiro, o vice-presidente da Câmara de Comércio e Indústria, Vladimir Padalko, afirmou que as empresas russas estão discutindo projetos para a construção de carros e máquinas agrícolas na Síria.

Ele também especificou que grandes fabricantes de automóveis provavelmente não entrarão no país, seus revendedores farão. Ele também anunciou que uma empresa russa iniciou negociações para a construção de mais de uma dúzia de estabelecimentos para a produção de produtos de concreto armado.

A Bielorrússia também anunciou planos para estabelecer uma base de fabricação de carros na Síria. Em meados de janeiro de 2018, representantes da empresa bielorrussa MAZ realizaram as negociações relevantes no Ministério da Indústria da Síria.

Além de anúncio sobre a Síria, Manturov também falou sobre o desenvolvimento da indústria na Rússia e na China. Segundo ele, o progresso industrial e a cooperação russa e chinesa atraem a insatisfação dos países ocidentais.

“Você pode ver por si mesmo a difícil situação geopolítica e econômica em que nossos países estão. É principalmente devido ao fato de que produzimos grandes volumes de produtos competitivos – diz respeito à indústria de ferro e aço e à indústria não-ferrosa, em particular o alumínio”, disse Manturov na conferência de imprensa.

“Quanto mais fortes as indústrias chinesa e russa se tornam, mais insatisfação é extraída de nossos colegas ocidentais, em particular dos EUA”, afirmou.

“No entanto, isso só nos motiva ainda mais a cooperar nas áreas que discutimos hoje. Estas são, em particular, a indústria metalúrgica, alumínio, indústria de rádio-eletrônica, farmacêutica, indústria automobilística e novas esferas inovadoras”, relatou Manturov.

“Pressão, sanções e certas proibições dos países ocidentais e dos EUA nos empurram mais uma vez para a cooperação e a busca por soluções e produtos conjuntos”, concluiu o ministro da Indústria e Comércio da Rússia.

O anúncio dos estabelecimentos industriais na Síria segue o anúncio do Plano de Desenvolvimento das Exportações da Rússia em 12 de setembro. Denis Manturov disse que o plano previa o lançamento de 4 zonas industriais no exterior, todas operacionais dentro de 6 anos.

Isto é além do que já está funcionando no Egito.

“Estamos a desenvolver um programa para a criação de zonas industriais no exterior. Devemos estabelecer pelo menos quatro zonas em seis anos. Temos uma no Egito, e também precisamos formá-las na América Latina – pode ser México, Uruguai ou Paraguai, no sudeste da Ásia – Vietnã, Malásia ou Indonésia – e na África oriental ou ocidental. Vamos analisar onde será vantajoso”, disse o ministro.

dinamicaglobal

4 comentários :

  1. Pqp, se burrice matasse, não seria necessária nenhuma atividade eugenista por aqui. A Rússia é o quintal do SIONISMO. Onde os russos pisam, estão levando nas costas os judeus para o solo alheio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua estupidez é hilária! O sionismo está por trás do império amerikkkano. Basta vc observar os sobrenomes e ligações dos principais personagens detentores dos meios de comunicação e aparato militar. iso, pra não falar dos presidentes. Roosevelt, Clinton, Lincoln, Trump, etc.

      Excluir
  2. afinal foi a URSS de Stalin que financiou os khazares para a tomada da Palestina em 1948. Tanto que explodiram o Hotel Rei Davi e mataram mais de 300 soldados britânicos. Mas se Israel for atacada poderá mandar explodir uma BOMBA ATÔMICA na Rússia ou em sua bases Latakia e aí começa o ARMAGEDON.

    ResponderExcluir