domingo, 30 de setembro de 2018

RADICAIS UCRANIANOS EMPUNHANDO FACAS AGRIDEM UM ADVOGADO E UM JORNALISTA DENTRO DE UM TRIBUNAL EM ZHYTOMYR, E DEPOIS ATACAM UM CAFÉ [VÍDEOS]

Traduzido por Ollie Richardson & Angelina Siard

uspishna-varta.com


Em 28 de setembro, a última audiência sobre o caso do jornalista ucraniano Vasily Muravitsky que foi realizada na corte distrital de Korolevsky, na cidade de Zhytomyr. Na audiência, a promotoria deveria apresentar aos especialistas cujas conclusões formam a base das acusações de alta traição contra o jornalista.

Enquanto isso, os especialistas mais uma vez não compareceram à audiência. Portanto, o promotor continuou a apresentar provas ao tribunal de que os advogados de Muravitsky ainda não estavam familiarizados. Também foram ouvidas gravações em áudio das negociações do jornalista sobre “artigos anti-ucranianos na Internet” .
Neste momento, o tribunal estava cheio de representantes das organizações extremistas "C14 " e National Corpus " , que chegaram a Zhytomyr em dois micro-ônibus de Kiev. Alguns deles escondiam seus rostos com balaclavas. O líder do "C14" Evgeny Karas e seu irmão mais velho, Vladimir, lideraram os radicais. O representante do “C14”,  Sergey Mazur , acusado de organizar o pogroma do acampamento romani em Lysa Gora, em Kiev, em 21 de abril de 2018 , também compareceu à audiência de Muravitsky.
A pedido da defesa de Muravitsky, o juiz ordenou que aqueles que tinham acabado de chegar retirassem suas balaclavas e depois pediu que saíssem da sala de conferências. Eles, por sua vez, ignoraram o pedido dos juízes.
Depois que o juiz declarou uma pausa na audiência, representantes do "C14", liderado por Evgeny Karas, entraram - aproveitando a ausência de policiais no salão - e provocaram um conflito com o advogado de Muravitsky - Andrey Gozhy . Como ficou claro, os radicais conseguiram entrar no tribunal com facas. Os guardas do tribunal afirmaram mais tarde que o detector de metais simplesmente não reagiu às armas brancas.
O confronto também prejudicou o jornalista Andrey Loktionov, do Zhytomyr, acusado pelo “C14” de apoiar Muravitsky.
A luta terminou com um telefonema para a polícia e a equipe de ambulância. O advogado Andrey Gozhy e o jornalista Andrey Loktionov foram levados em uma ambulância. O advogado tem uma suspeita de concussão cerebral.
Após a luta, a sessão do tribunal continuou. O juiz tomou a decisão de prolongar a medida de contenção para Vasily Muravitsky - ele estará em prisão domiciliar por mais dois meses.
A próxima audiência ocorrerá no dia 26 de outubro.
Depois da sessão do tribunal de Muravitsky, os radicais do  "C14"  foram vistos perto do café "ShariKava" em Zhytomyr. 
Lá eles organizaram um protesto contra este estabelecimento. O motivo: a colocação de um mapa da Ucrânia sem a Crimeia no seu website. Depois de brigar com os empregados do café, os radicais de direita lançaram granadas de fumaça no estabelecimento. Os trabalhadores e visitantes do “ShariKava” tiveram que ser evacuados, e bombeiros e policiais chegaram ao local.
Como lembrete, o jornalista da Zhytomyr foi detido pela SBU em 2 de agosto de 2017 sob acusações de alta traição, assistência ao terrorismo e violação da integridade territorial, pela qual ele corre o risco de 15 anos de prisão. Depois de passar 11 meses em um centro de detenção em pré-julgamento, em 27 de junho de 2018, o tribunal abrandou sua medida de restrição à prisão domiciliar ininterrupta.
O caso de Vasily Muravitsky está sendo monitorado continuamente pelos ativistas de direitos humanos de “Uspishna Varta” .

Nenhum comentário :

Postar um comentário