quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Estados Unidos coordenaram ataque de drones à base russa na Síria, diz Defesa russa.Qual seu objetivo em atacar base russa na Síria?

Um avião de reconhecimento dos EUA coordenou um ataque maciço de drones à base aérea russa de Hmeymim na Síria, declarou o vice-ministro da Defesa, Aleksandr Fomin.
Aeronave da Marinha dos EUA, P-8A Poseidon, produzida pela Boeing
O militar lembra que o ataque foi realizado por 13 drones, que foram controlados por um sinal comum.

"Naquela ocasião, um avião de patrulha estadunidense P-8A Poseidon fazia um voo de reconhecimento sobre o mar Mediterrâneo durante 8 horas", sublinhou Fomin ao discursar em Pequim.


Os drones podem funcionar tanto em regime autônomo como serem controlados por um operador quando enfrentam meios de guerra radioeletrônica.
Segundo o vice-ministro russo, foi um Poseidon americano "com equipamento moderno" que efetuou o controle dos drones naquele caso.
Ao enfrentar sistemas de guerra radioeletrônica, os drones se recuaram a receber novos sinais: "Começaram a ser controlados do espaço e a receber informações sobre os chamados buracos nos quais acabaram penetrando e depois foram destruídos", concluiu Fomin.
O representante da Defesa russa não especificou quando exatamente aconteceu o ataque em questão.
Ataques de drones na Síria
Os terroristas na Síria recorrem com frequência a veículos voadores não tripulados na hora de lançar ataques, incluindo à base russa de Hmeymim. Apenas em agosto deste ano, os sistemas de defesa antiaérea da base derrubaram 47 drones.
O Ministério da Defesa russo sublinhou em várias ocasiões que, apesar de sua aparência simples, os drones terroristas são construídos com tecnologias modernas: sistemas de navegação, de controle e de lançamento de explosivos.
Para os militares russos, isso mostra que "uma parte que possui tecnologias de produção de tais veículos entregou seus conhecimentos aos grupos terroristas internacionais".
Que interesses perseguiram EUA ao atacar base russa na Síria? Especialista avalia
Drones encontrados perto da base aérea russa de Hmeymim na Síria
Um dos ataques de drones contra a base aérea russa de Hmeymim na Síria foi dirigido desde um avião norte-americano, declarou recentemente a Defesa da Rússia. O especialista em segurança de voos avalia os possíveis interesses que os EUA tentavam perseguir nessa situação.
Há pouco, o vice-ministro da Defesa russo, Aleksandr Fomin, declarou que um avião de reconhecimento dos EUA coordenou o ataque maciço de drones à base aérea russa de Hmeymim na Síria.
Segundo o vice-ministro russo, foi um P-8 Poseidon americano "com equipamento moderno" que efetuou o controle dos drones naquele caso. O representante da Defesa russa não especificou quando exatamente aconteceu o ataque em questão, mas destacou que ele foi realizado por 13 drones, que eram controlados por um sinal comum.
Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, um especialista russo em segurança de voos, Aleksandr Romanov, comentou a situação em geral e opinou que objetivos tentariam atingir os EUA ao realizar tais ações.
"Penso que é mais provável que esta tenha sido uma tentativa aberta de nos pressionar, fazer com que a parte russa se tornasse mais flexível em alguma coisa", declarou, adicionando que "tais métodos são normalmente usados antes de algum tipo de negociações, antes de se apresentar estas ou aquelas exigências".
"Para atingir isso, eles mostram que possuem capacidades para ultrapassar as nossas linhas de proteção", destacou.
No entanto, o especialista sublinhou que em "qualquer caso eles não teriam conseguido provocar muitos danos; é mais provável que seu objetivo fosse mostrar que eles têm capacidade de fazer alguma pequena ação de sabotagem. Mas mesmo essa tentativa deles foi frustrada pelos militares russos".
Assim, opina o especialista, os organizadores da provocação puderam confirmar que suas tentativas são inúteis.
"Não há dúvidas que depois de tais tentativas o sistema de defesa da nossa base foi reforçado ainda mais. Se aqueles que organizaram esse ataque perceberam que não tem nenhum sentido realizar tais provocações, acho que eles vão parar suas tentativas. Se a tentativa tivesse tido mais êxito, seria possível esperar sua continuação", enfatizou.
O especialista russo concluiu dizendo que "é por isso que é necessário responder imediatamente, para que no futuro nem sequer desejem continuar a fazer tais lançamentos".
Os terroristas na Síria recorrem com frequência a veículos aéreos não tripulados na hora de lançar ataques, incluindo à base russa de Hmeymim. Apenas em agosto deste ano, os sistemas de defesa antiaérea da base derrubaram 47 drones.
O Ministério da Defesa russo sublinhou em várias ocasiões que, apesar de sua aparência simples, os drones terroristas são construídos com tecnologias modernas: sistemas de navegação, de controle e de lançamento de explosivos.

Nenhum comentário :

Postar um comentário