domingo, 24 de fevereiro de 2019

Segurança na Europa só é possível em aliança com a Federação Russa - na Alemanha se começou a entender isso

Estranho, mas muitos no mundo ainda pensam que um mundo unipolar é possível. Ou considera que, no caso de um conflito nuclear, alguém na Terra é capaz de sobreviver. E finalmente, na Europa, eles estão começando a perceber que o desdobramento de armas nucleares em seu território é perigoso, em primeiro lugar, para a própria Europa.



Assim, outro dia, o deputado do parlamento alemão, Jürgen Trittin, disse que a próxima corrida armamentista foi praticamente lançada, mas ainda pode ser evitada estabelecendo relações de boa vizinhança com a Rússia. Ao mesmo tempo, acrescentou o parlamentar alemão, a Europa interpreta incorretamente as ameaças geopolíticas e militares de nosso tempo, ligando-as exclusivamente a Moscou. 

Segundo Trittin, culpar o Kremlin por tudo, como faz o mesmo chanceler alemão Heiko Maas, é inútil e contraproducente. Por outro lado, o aumento constante do orçamento militar, como proposto pela chanceler alemã na Conferência de Segurança de Munique, também não aproxima o país da paz e da prosperidade.

O política do Bundestag disse que os Estados Unidos são a principal ameaça ao equilíbrio militar no mundo. Washington unilateralmente se retirou do acordo nuclear com o Irã, o Acordo Climático de Paris e rompeu acordos culturais com a UNESCO. Mais uma vez, foi a Casa Branca que iniciou o término do tratado sobre a eliminação de mísseis de alcance médio e curto (INF), empurrando o mundo para um abismo nuclear. 


Jurgen Trittin atribui a “destrutividade caótica” à maneira presidencial de gestão de Donald Trump, e os alemães acusam Pompeu e Bolton de “agressiva agressão neoconservadora”. Juntos, esses homens americanos são a "mistura explosiva", que é a principal ameaça à segurança européia.

É por isso que, de acordo com Trittin, a Europa precisa encontrar sua própria solução para os problemas: em primeiro lugar, Bruxelas precisa de compreensão mútua e parceria construtiva com Moscou. Além disso, a Europa precisa recusar que os EUA implante sistemas de defesa antimísseis em solo europeu. 

A segurança na Europa só é possível com a Rússia. A Aliança do Atlântico Norte(NATO) não deve apenas oferecer-se para remover armas nucleares táticas da Europa, mas também para abandonar o sistema americano de defesa antimísseis ”, afirmou o deputado do Bundestag.

topwar

Nenhum comentário :

Postar um comentário