segunda-feira, 25 de março de 2019

VENEZUELA É AGORA A NOVA ARENA DE ATRITO RUSSO-AMERICANA APÓS A SÍRIA.

EUA ‘não vai ficar parado enquanto a Rússia exacerba as tensões na Venezuela’ – Pompeo.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, chamou o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, para discutir a situação na Venezuela, disse o vice-porta-voz do Departamento de Estado, Robert Palladino, em uma conversa telefônica entre os dois líderes.


“O secretário de Estado, Michael R. Pompeo, chamou o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, sobre a situação na Venezuela”, disse Palladino.

Durante a conversa, Pompeo disse a Lavrov que os Estados Unidos não ficariam de braços cruzados com relação às ações da Rússia na Venezuela.

“O secretário disse ao ministro russo das Relações Exteriores, Lavrov, que os Estados Unidos e os países da região não ficarão de braços cruzados à medida que a Rússia exacerba as tensões na Venezuela”, disse Palladino no comunicado. “A contínua inserção de militares russos para apoiar o regime ilegítimo de Nicolas Maduro na Venezuela pode prolongar o sofrimento do povo venezuelano que apóia esmagadoramente o presidente interino Juan Guaido.”

Um grupo de militares russos chegou à capital venezuelana de Caracas para participar de consultas com autoridades do governo do país sobre a cooperação bilateral da indústria de defesa, disse uma fonte diplomática em Caracas ao Sputnik.

Os aviões chegaram à capital venezuelana no sábado. A mídia informou anteriormente que cerca de 99 militares russos chegaram a Caracas a bordo de dois aviões, que também entregaram 35 toneladas de carga.

A Venezuela vem sofrendo de uma grave crise política há cerca de dois meses, depois que o líder da oposição do país, Juan Guaido, proclamou-se ilegalmente presidente interino, contestando a reeleição do presidente venezuelano Nicolas Maduro no ano passado. ¹

Oficiais militares russos chegam à Venezuela para conversas de defesa.

Um grupo de militares russos chegou à capital venezuelana de Caracas para participar de consultas com autoridades do país sobre cooperação na indústria de defesa, disse uma fonte diplomática em Caracas ao Sputnik.

“[O pessoal militar russo] chegou para participar de consultas bilaterais”, disse a fonte, quando questionada sobre a possível chegada de dois aviões aos militares russos.

A fonte notou que não havia “nada de misterioso” sobre isso porque a visita estava diretamente relacionada aos contratos que haviam sido assinados pelos dois países anos atrás.

“A Rússia [e a Venezuela] têm vários contratos, que estão sendo implementados, incluindo contratos de cooperação militar e técnica”, acrescentou a fonte.

Os aviões chegaram à capital venezuelana no sábado. A mídia informou anteriormente que cerca de 99 militares russos chegaram a Caracas a bordo de dois aviões, que também entregaram 35 toneladas de carga.

Enquanto isso, a Venezuela vem sofrendo de uma grave crise política há cerca de dois meses, depois que o líder da oposição do país, Juan Guaido, proclamou-se ilegalmente como presidente interino, contestando a reeleição do presidente venezuelano Nicolas Maduro no ano passado.

O autoproclamado presidente interino imediatamente recebeu apoio por parte dos Estados Unidos, que também denunciou a reeleição de Maduro, junto com vários outros países. Tanto Caracas quanto Moscou têm expressado preocupações de que Washington possa recorrer a meios militares para expulsar Maduro do poder.

China, Cuba, Rússia e vários outros países endossaram Maduro como o único presidente legítimo da Venezuela. ²

Traduzido para publicação 



Fonte: Sputnik News ¹ | ²

Nenhum comentário :

Postar um comentário