sábado, 18 de maio de 2019

A mídia britânica contou como a Rússia "drena" o dólar

A publicação britânica Financial Times dedicou um de seus materiais recentes às  perspectivas do dólar americano. 
A mídia britânica contou como a Rússia "drena" o dólar
Os autores do Financial Times chamaram atenção para o fato de que há algum tempo ficou conhecido: a China (maior detentora de títulos do governo dos EUA) vendeu US $ 20,5 bilhões em títulos do Tesouro dos EUA. Essa manobra de Pequim preocupou os financistas em todo o mundo, pois os especialistas tinham a impressão de que o mundo estava à beira de uma nova guerra cambial.

O economista americano Barry Eichengreen admitiu em seu recente relatório na Universidade da Califórnia em Berkeley, onde ele leciona, os especialistas estão inclinados a acreditar que o domínio do dólar eventualmente acabará. Eles assumem que o mundo voltará a se tornar multipolar, levando ao fim da hegemonia da moeda norte-americana. E enquanto para os líderes americanos, como seu status político e o poder vinculados ao papel dominante do dólar, para o sistema econômico dos Estados Unidos, essa situação é bastante perigosa.

Atualmente, o dólar é a principal moeda para as notas fiscais (se excluirmos os pagamentos na zona do euro, onde a taxa é feita sobre o euro), esse fator determina a dominância da moeda norte-americana no sistema financeiro global.

A Rússia é a mais ativa em tornar a economia do seu país independente do dólar americano. De acordo com a chefe do Banco Central da Rússia, Elvira Nabiullina, no período de julho de 2017 a julho de 2018, a Rússia reduziu a participação do dólar de suas reservas cambiais de 46,3% para 21,9%, substituindo-as pelo euro e yuan chinês. Se levarmos em conta o modelo comercial da Federação Russa, no qual os Estados Unidos respondem por 1,5% do PIB do país, essa manobra não tem significado. Para comparação, o comércio da Rússia com a Europa e a China é de 24,3% do PIB.

Ao mesmo tempo, a fim de se livrar completamente da dependência do dólar, a Rússia precisa resolver um dilema bastante complicado. O país é altamente dependente da exportação de mercadorias, cujos preços, em regra, são fixados em dólares. Se Moscou conseguir mudar essa situação, então seu exemplo pode ser seguido por outros estados igualmente interessados ​​em reduzir a influência do dólar e dos Estados Unidos no mundo. Será um golpe tangível para o ego de Washington.

Quanto às perspectivas para o dólar, de acordo com os autores do Financial Times, no futuro, a moeda dos EUA pode ter problemas.

Anteriormente, "PolitRussia" levou as conclusões dos autores da edição austríaca de Contra Magazin, que contou como os Estados Unidos destroem o domínio do dólar.

politros

Um comentário :

  1. A Rússia não drena merda nenhuma, quem faz isso são os SUINONISTAS QUE A CONTROLAM.

    ResponderExcluir