quinta-feira, 9 de maio de 2019

MANOBRAS DOS EUA NAS NAÇÕES UNIDAS. MÉTODOS DIABÓLICOS UTILIZADOS PELOS EUA PARA DESTRUIR A VENEZUELA.

“Capitalismo Psicopata”: Terrorismo Econômico dos EUA e Genocídio Contra o Povo da Venezuela.
25 de abril: O ministro das Relações Exteriores Arreaza descreve o sofrimento excruciante do povo venezuelano resultante das sanções dos Estados Unidos;

26 de abril: EUA violam sua obrigação como país sede da ONU e sancionam o ministro das Relações Exteriores por falar verdade ao poder.

“Não estamos apenas do lado errado, somos o lado errado.” Daniel Elllsberg, Especialista em Pentagon Papers

“As sanções americanas visam deliberadamente destruir a economia da Venezuela e, assim, levar à mudança de regime. É uma política infrutífera, sem coração, ilegal e falida, causando graves danos ao povo venezuelano.” Professor Jeffrey Sachs

Manobras dos EUA nas Nações Unidas

Toda a programação oficial das reuniões da Comissão sobre Desarmamento das Nações Unidas – de 8 de abril a 29 de abril – foi forçada a cancelar porque os Estados Unidos, em violação de suas obrigações como país anfitrião, recusaram um visto a importantes delegados russos.

Em 25 de abril, o brilhante e carismático chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza (à esquerda) detalhou, em uma coletiva de imprensa da Organização das Nações Unidas, o terrível sofrimento que o povo venezuelano sofre com a ditadura das sanções americanas contra seu país e o terrorismo dos EUA. e todas as instituições e nações globais que os EUA estão exigindo cortam todos os laços econômicos e diplomáticos com a Venezuela.

Em uma marcha furtiva e mortal à ditadura global, e consistente com sua tentativa de subjugar as Nações Unidas aos interesses do poder oligárquico americano, os Estados Unidos estão abusando de sua participação nas Nações Unidas, tentando forçar a mudança de regime na Venezuela, usando criminosos. métodos que violam a Convenção de Haia, a Convenção de Genebra, a Carta das Nações Unidas, a Declaração Universal dos Direitos Humanos, a Carta da Organização dos Estados Americanos, a Constituição Venezuelana e a violação da própria lei dos EUA.

As manobras dos EUA para destruir o credenciamento da ONU pelo governo de Maduro e substituí-lo pelo fantoche Guaido são horripilantes e maquiavélicas, e, realisticamente, já que os EUA não têm escrúpulos, nem respeito ao direito internacional, há uma possibilidade nefasta de que pode ter sucesso. Numerosos diplomatas de muitos países, com quem falei, estão aterrorizados pelas sanções que os EUA acabaram de colocar ao ministro venezuelano das Relações Exteriores, reconhecendo a ameaça à sua própria soberania, e sofisticados especialistas iranianos delinearam as perigosas possibilidades que os EUA têm de usar esse método. para expulsar a delegação venezuelana para a ONU, e de fato denegar o acesso do governo Maduro à ONU. Se os EUA obtiverem êxito neste esquema criminoso, a credibilidade da ONU será total e irremediavelmente destruída, como confirmaram os muitos diplomatas com quem falei. Muitos delegados estão dizendo agora que a ONU seria melhor baseada em outro país mais confiável e respeitoso. A Venezuela é presidente do Movimento dos Não-Alinhados, uma organização de 120 estados membros. Para os EUA sancionarem seu Ministro das Relações Exteriores, é um abuso irresponsável e intolerável do status de país anfitrião.
Além disso, os EUA forjaram outra organização do tipo mafiosa de “governos” latino-americanos “lacaios” que dão toda a indicação de se tornar uma nova Operação Condor, sistematicamente organizado pelo assassinato organizado por Augusto Pinochet e Henry Kissinger (imagem à esquerda). plano criminoso organizado para exterminar todos os esforços progressistas e humanitários em toda a América Latina e além.

A Operação Condor orquestrou a matança do ex-ministro das Relações Exteriores do Chile, Orlando Letelier, em Sheridan Circle, Washington, DC, em 1976. Letelier sangrou até a morte depois que um carro-bomba organizado por terroristas cubanos anti-castristas arrancou suas pernas. Uma garota americana que trabalhava para o Instituto de Estudos de Políticas, Ronni Moffett também foi morta nessa ação terrorista. Na Argentina, o general chileno Carlos Prats foi assassinado quando sua casa em Buenos Aires foi bombardeada; em Roma, a esposa do senador chileno Bernardo Leighton foi prejudicada pela bala de um assassino destinada a ele; Operação Condor organizou o assassinato do ex-presidente boliviano progressista Torres na Argentina.

Métodos Diabólicos Utilizados pelos EUA para Destruir a Venezuela

Em um relatório colossal intitulado “Sanções econômicas como castigo coletivo: o caso da Venezuela” e corroborando tudo o que afirma o ministro das Relações Exteriores, Jorge Arreaza, os economistas Jeffrey Sachs e Mark Weisbrot descrevem os métodos diabólicos usados ​​pelos Estados Unidos para destruir a Venezuela e desacreditar o socialismo, resultando no assassinato deliberado de pelo menos 40.000 pessoas venezuelanas, incluindo crianças, idosos, enfermos e outros civis mais vulneráveis. Esta é uma política sistemática e deliberada do governo dos EUA, um plano hediondo para exterminar o socialismo e massacrar o povo venezuelano para roubar seu petróleo, um ato espetacular de pirataria conduzido descaradamente com o conluio de fantoches obedientes na Europa Ocidental e no Canadá, e estados latino-americanos covardes e obsequiosos cuja obediência vergonhosa a Washington é de tirar o fôlego.

Bloqueio Completo

Washington agora ameaça bloquear e sancionar completamente Cuba para forçar o país a romper relações com a Venezuela. A Nicarágua também está, é claro, na mira.
Em 02 de maio houve um golpe fracassado, provocado pelo traidor Juan Guaido, (imagem à direita com Lopez), que incitou uma revolta militar para derrubar violentamente o governo democraticamente eleito de Nicholas Maduro. Se Joseph Biden ou Bernie Sanders, ou qualquer cidadão americano advogasse a derrubada violenta do governo dos EUA, eles seriam presos e/ou executados. É espantoso que o candidato da Manchúria, Juan Guaido, defendendo a derrubada violenta do governo venezuelano, seja autorizado a vagar livremente por toda a Venezuela. Esta é uma prova incontestável do caráter impecavelmente democrático do governo de Maduro. E talvez seja uma prova da força e confiança de Maduro no povo venezuelano. Mas a vida de Maduro está em risco para o seu país. Durante a emergência de 02 de maio, o embaixador venezuelano Samuel Moncada convocou uma conferência de imprensa da ONU, e habilmente respondeu a perguntas frequentemente tendenciosas e tendenciosas, para as quais Moncada estava bem preparado, e sem dúvida antecipou.

O governo dos EUA está se desintegrando, e tem sido por muitos anos, com o atual governo repleto de guerra interna. O governo francês está enfrentando uma incipiente revolução popular dos Yellow Jackets, o governo britânico frustrado pelo Brexit e movimentos separatistas que ameaçam a sobrevivência do “Reino Unido”. É apenas com a arrogância mais flagrante que eles criticam a Venezuela.
É angustiante testemunhar o assassinato em massa de um povo venezuelano heróico e progressista, por um capitalismo psicopata que não tem um pingo de decência humana, e chafurdar em seu comportamento canibalístico, profanar o próprio conceito de direitos humanos. Mas essa é a essência do capitalismo monopolista, cujo estágio “mais alto” é o fascismo. Só podemos esperar que a Rússia e a China reconheçam a futura ameaça à sua própria sobrevivência, e não se entreguem ao desejo de um arranjo “ganha-ganha” com Washington. Só podemos esperar que o cadinho da Venezuela venha a ser o Stalingrado desta de facto a Terceira Guerra Mundial, e será no campo de batalha da Venezuela, com o seu legado transgeracional de Simon Bolívar, que o fascismo é derrotado, e o futuro progressista o destino da humanidade será forjado.



Autora: Carla Stea
Traduzido para publicação em dinamicaglobal.wordpress.com

Nenhum comentário :

Postar um comentário