Caso Huawei: EUA fomentam uma iminente guerra tecnológica global, afirma Putin. Diz também que o dólar está perdendo a confiança - Noticia Final

Ultimas Notícias

Acompanhe o Noticia final nas Redes Sociais

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

sexta-feira, 7 de junho de 2019

Caso Huawei: EUA fomentam uma iminente guerra tecnológica global, afirma Putin. Diz também que o dólar está perdendo a confiança

O presidente russo Vladimir Putin disse que os esforços dos EUA para tirar a gigante de tecnologia chinesa Huawei do mercado global podem ser um sinal de que uma nova guerra tecnológica está chegando.
Resultado de imagem para putin
"Tome a situação em torno da empresa Huawei, por exemplo. Não há tentativas de desafiá-la, mas de forçá-la descaradamente a sair do mercado global", avaliou Putin ao público no Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo nesta sexta-feira.


"Em alguns círculos, até é chamada a primeira guerra tecnológica da próxima era digital", acrescentou.

Washington há muito critica a Huawei e outra empresa chinesa de tecnologia, a ZTE, por supostas ligações com o governo chinês. Em maio, quando a guerra comercial entre Washington e Pequim se intensificou, a administração do presidente Donald Trump colocou na lista negra a Huawei, citando preocupações com a segurança nacional.

Putin explicou ainda que as tentativas de monopolizar uma nova onda tecnológica por parte de alguns países dificultam a solução do problema da desigualdade global e levarão à desestabilização.

Apesar das negações repetidas da Huawei sobre as acusações feitas por Washington, as principais empresas globais de tecnologia, como Google, Intel e Qualcomm, começaram a cortar seus laços com a empresa chinesa para cumprir a proibição dos EUA. A Huawei já entrou com uma moção em um tribunal dos EUA para derrubar a proibição de seus produtos, dizendo que foi alvo de "violação do devido processo legal".

A cruzada de Washington contra a empresa chinesa acontece quando as duas maiores economias do mundo estão envolvidas em uma disputa comercial, que resultou em tarifas de milhares de milhões em importações.

A escalada mais recente fez com que os EUA aumentassem as tarifas para 25%, sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses, e a China voltasse com tarifas de até 25% sobre 5.000 produtos dos EUA, no valor de US$ 60 bilhões.

sputniknews

Putin: confiança no dólar está diminuindo no mundo

Presidente da Rússia Vladimir Putin afirmou hoje (7), durante o seu discurso no Fórum Econômico que está decorrendo em São Petersburgo, que o papel do dólar como a moeda de reserva global requer uma redefinição.

Putin afirmou que é preciso redefinir a função da moeda norte-americana, que se transformou em uma ferramenta de pressão contra o resto do mundo, e que a confiança no dólar está diminuindo.

"[..] É óbvio que estas mudanças profundas exigem a adaptação das instituições financeiras mundiais e uma redefinição da função do dólar, que depois de se ter tornado a moeda de reserva mundial se transformou nos dias de hoje em uma ferramenta de pressão por parte do país emitente contra o resto do mundo", destacou o presidente da Rússia.

O presidente acrescentou que isso é um erro das autoridades financeiras dos centros políticos dos EUA.

"A propósito, do meu ponto de vista, o grande erro, não só das autoridades financeiras americanas como também dos centros políticos, é que eles próprios comprometem suas vantagens obtidas nos tempos da criação desse sistema de Bretton Woods – a confiança no dólar está simplesmente caindo", concluiu ele enquanto discursava no SPIEF.

O Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (SPIEF) é um espaço para comunicação entre empresários e para discussão das principais questões econômicas. Este Fórum é realizado anualmente desde 1997. Este ano o evento se realiza entre 6 e 8 de junho.

sputniknews

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here