sábado, 29 de junho de 2019

Para evitar sanções dos EUA, Índia pondera pagar em euros a compra de armamento russo

No início deste mês, o Ministério das Relações Exteriores da Índia sublinhou que Nova Deli não tenciona abandonar o acordo com Moscou de compra dos sistemas de defesa antiaérea S-400, apesar das ameaças dos EUA.
Sistema de mísseis S-400

A Índia irá provavelmente pagar à Rússia em euros pelo seu armamento, a fim de evitar as sanções estadunidenses, informou o jornal indiano Economic Times, citando fontes anônimas.
As fontes alegaram que, embora alguns pagamentos já tenham sido feitos "através de transações em rupias e rublos", Moscou e Nova Deli assinaram um acordo segundo o qual o banco russo VTB irá receber o pagamento em euros.

Índia assina contratos de compra de armamento russo no valor de US$ 4 bilhões

Vários contratos de fornecimento de equipamento militar russo no total de US$ 4 bilhões (R$ 15,4 bilhões) foram já assinados, nomeadamente a aquisição de sistemas de defesa antiaérea S-400, quatro fragatas, bem como o contrato de arrendamento do submarino Chakra III.
Além disso, a Rússia e a Índia devem assinar mais dois acordos relacionados com o fornecimento de rifles de assalto AK-203 e helicópteros Ka-226 ao Exército indiano.
Recentemente, o Departamento do Estado dos EUA avisou a Índia para que desista do acordo de aquisição dos S-400, propondo a Nova Deli armamento norte-americano do mesmo tipo.
"No que diz respeito aos S-400, estamos vivamente aconselhando todos os nossos aliados e parceiros, incluindo a Índia, para que abdiquem das transações com a Rússia, para não correrem risco de introdução de sanções no âmbito da Lei de Contenção de Adversários da América Através de Sanções (CAATSA)[...]. Estamos incentivando a Índia para que considere outras alternativas", disse um representante do Departamento de Estado dos EUA.
Em 2018, os EUA insistiram para que a Índia desistisse da assinatura do maior contrato de compra de S-400 com a Rússia. O Governo indiano, por sua vez, tem repetidamente sublinhado que considera ilegítimas as restrições unilaterais.

Nenhum comentário :

Postar um comentário