O golpe dos houthis contra o “Patriot” Árabe mostrou as falhas críticas do radar AN / MPQ-65 - Noticia Final

Ultimas Notícias

Acompanhe o Noticia final nas Redes Sociais

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

terça-feira, 23 de julho de 2019

O golpe dos houthis contra o “Patriot” Árabe mostrou as falhas críticas do radar AN / MPQ-65

Por Evgeny Damantsev 
Tradução: Richardson e Angelina Siard 

Fonte: https://topwar.ru/160248-filigrannyj-udar-po-aravijskomu-pjetriotu-zasvetil-kriticheskie-nedostatki-radarov-an-mpq-65.html

The Saker

Informações recentes sobre o uso bem-sucedido de um drone kamikaze da família "Samad-1/3" (e, talvez, também dos mísseis táticos "Quds") contra pelo menos dois lançadores M903 do sistema de mísseis terra-ar da Arábia O “Patriot PAC-3”, que cobre a área fortificada das forças terrestres da Arábia Saudita e forças sudanesas paramilitares que foram contratadas na província fronteiriça de Marib (perto da linha de contato entre as forças da “coalizão árabe” e as divisões do exército dos Houthis Yemenitas) tornou-se um assunto de debates acalorados nas comunidades militares-analíticas ocidentais e russas.
Resultado de imagem para patriot saudita
Toda a agitação do evento não é tanto uma “surpresa” já que foi realizada pelas unidades de mísseis do grupo “Ansar Allah” em 4 de julho de 2019 (durante a celebração do Dia da Independência dos EUA), mas na falta de qualquer informação sobre o desempenho da bateria do sistema SAM “Patriot” para a prontidão total do combate, fornecendo uma curva azimutal corretiva das unidades inclinadas M903 na direção dos próximos ataques aéreos, que no caso são os drones kamikaze “Samad” ou os “Quds” mísseis táticos. 


As agências de notícias “Free News”, “Al-Masdar News” e “Military-industrial courier”, com referência a fontes bem informadas na equipe operacional da “Ansar Allah” e a força aérea da Arábia Saudita, informaram sobre isso.


As razões do “silêncio” do “Patriot” árabe estão na “estupidez” tecnológica dos radares AN / MPQ-53/65.

Com base na circunstância acima mencionada, é possível tirar imediatamente várias conclusões fundamentais e interessantes que são capazes de servir de forma excelente aos especialistas do Estado Maior das Forças Armadas Russas e ao comando das Forças Armadas iranianas no desenvolvimento de várias técnicas de supressão de um sistema SAM da família “Patriot PAC-2/3”. Considerando a situação tática operacional extremamente difícil e quase imprevisível no campo de batalha do Iêmen, causada por duelos súbitos e de alta intensidade com mísseis e artilharia entre os houthis e as forças da “coligação árabe”, é fácil supor que a detecção polivalente, a iluminação visando estação de radar da AN / MPQ-53/65, que é uma parte do "Patriot" que foi submetido a um golpe, estava com uma quota máxima de probabilidade em serviço. Portanto, a observação do espaço aéreo sobre o Iêmen teve de ser realizada na direção mais propensa a mísseis (para o propósito do surgimento de mísseis balísticos operacionais-táticos 8K14 do complexo “Elbrus”, 9M79 “Tochka”, “Badr-1P E diferentes tipos de mísseis de cruzeiro e drones) no setor azimutal de + 45 ° a -45 ° (uma zona de observação de 90 graus), e no plano de elevação - de 1 ° a 73 °.

À primeira vista, tendo em conta a consciência do cálculo árabe do “Patriot PAC-3” relativo às trajetórias de voo estimadas dos mísseis tácticos e de cruzeiro operacionais do Yemen, o MLRS AN / MPQ-53 (ou a sua modificação mais moderna AN / MPQ-65) tinha que ser mais do que suficiente para a varredura efetiva da área designada do espaço aéreo e bloquer qualquer ataque de míssil dos Houthis; especialmente porque as unidades de fogo dos complexos PAC-3 podem se vangloriar da existência dos antimísseis MIM-104F PAC-3MSE com a possibilidade de destruição no horizonte dos alvos dificilmente visíveis de baixa altitude designados pelo radar dos aviões E-3A, que a Força Aérea Real da Arábia Saudita tem à sua disposição. Mesmo assim, o pessoal das unidades de mísseis da “Ansar Allah” investigaram as deficiências tecnológicas dos radares da família AN / MPQ-53/65 e seu regime de trabalho, e então destruíram o mito feito pelos gerentes de relações públicas da Lockheed Martin e Raytheon sobre o maior nível de sobrevivência do PAC-3 durante ataques intensivos de mísseis maciços realizados pelo inimigo. Que deficiências podemos falar?

Primeiro de tudo, é essa restrição bastante grande na altura mínima dos alvos acompanhados durante a passagem e “travados” pelos radares AN / MPQ-53/65, que totalizam 0,03 km (30m), enquanto os radares iluminadores e direcionadores 30H6E e 9C36 dos sistemas S-300PM1 e “Buk-M2” funcionam em objetos que operam a alturas de 10-15m! Essa deficiência é a peculiar "doença genética" das estações da família MPQ-53 conectada ao ângulo mínimo de elevação de 1 grau, enquanto a zona de elevação de varredura de outros MLRS modernos começa com 0 graus, ou com indicadores negativos (-4 a -7 graus): um exemplo claro disso é o detector 96L6 de alturas múltiplas e o detector “Podlet-K1” de baixa altitude instalado nos sistemas S-400 “Triumf”. Assim sendo, os drones e mísseis de cruzeiro dos Houthis “sneaking”(voando) na altura de 15-20m poderiam “contornar” a zona de elevação de observação do MPQ-53. A situação poderia ser salva pelo radar dos aviões “Sentry” E-3A, o que daria ao “Patriot” um cálculo de alvos no canal “Link-16”, mas provavelmente naquele tempo nenhum avião estava cumprindo o dever de combate.

Em segundo lugar, é provável que neste momento o cálculo do "Patriot" da Arábia Saudita utilizasse o modo "busca por setor" para alvos, quando o raio de varredura passiva do MPQ-53/65, guiado pelos deslocadores de fase de ferrite 5161, processa apenas os setores mais prioritários e propensos a mísseis (escolhidos pelos operadores manualmente, de acordo com a situação tática) a partir dos  32 software fornecidos pelos radares MPQ-53 e pela estação de comando e controle AN / MSQ-132. Tal modo poderia ser escolhido pelos sauditas para trabalhar somente contra os mísseis balísticos da "Ansar Allah", cujos arcos descendentes de trajetória diferem em seus enormes ângulos, enquanto a área de baixa altitude parece ser absolutamente "inobservável".

E, finalmente, e em terceiro lugar, esta é a incapacidade do MLRS AN / MPQ-53/65 para trabalhar no modo de um detector de radar completo (com cobertura de 360 ​​graus de espaço no plano azimutal e a alta frequência de atualização de informações relativas a a situação do ar graças à rotação do poste de antena), que o moderno  SAMP-T ou 50H6, que foi adicionado ao sistema doméstico de nova geração o SAM S-350 "Vityaz", são capazes de. Como resultado, a ausência na estrutura da bateria do “Patriot PAC-3” de um detector de radar adicional (por exemplo, A estação de radar “ANSAR ALLAH” móvel do USA AN / TPS-75 deu grandes dificuldades para o comando das brigadas de mísseis “Ansar Allah” relacionadas com a criação de trajetórias de voo difíceis para o drone “Samad” e os mísseis de cruzeiro “Quds” para o acesso subsequente ao radar AN / MPQ-65 nos hemisférios laterais (com ângulos de aproximação superiores a 45 graus) que não entra mais no campo de visão da estação de observação; mostra o resultado evidente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here