Por que o MiG-35 / 35D é uma boa ideia para as forças aeroespaciais da Federação Russa - Noticia Final

Ultimas Notícias

Acompanhe o Noticia final nas Redes Sociais

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

domingo, 21 de julho de 2019

Por que o MiG-35 / 35D é uma boa ideia para as forças aeroespaciais da Federação Russa

Andrei de Chelyabinsk

Recentemente, em várias publicações e discussões na Internet, a questão tem sido repetidamente levantada: A VKS precisa das aeronaves da famosa RSK MiG? Isso, é claro, é sobre o MiG-35 / 35D - a letra "D" denota uma modificação de dois assentos da aeronave.

De fato, há um argumento importante a favor e contra o fornecimento em série desta máquina as forças armadas. Mas antes de prosseguirmos para sua consideração, vamos prestar um pouco de atenção ao potencial de combate do mais novo MiG.

Um pouco de história

O MiG-35 / 35D é, em essência, uma modificação “sagaz” e melhorada do caça naval MiG-29K. Isso pode parecer estranho, já que geralmente são as máquinas de “terra” que são levadas para o convés como um protótipo, mas ... não nesse caso. O fato é que, pouco antes do colapso da União Soviética, a RSK MiG realizou um trabalho sobre as últimas modificações do MiG-29M e M2, bem como sobre o naval correspondente ao MiG-29K. Mas esses aviões não estavam destinados a entrar na série, porque, foram excluídos da ordem de defesa do Estado. A situação foi salva pela intervenção dos indianos, que precisavam de um caça polivalente relativamente leve: e agora, com dinheiro indiano, os projetistas da MiG conseguiram trazê-lo para a série como MiG-29K, incorporando inovações previamente concebidas. 


Como resultado, o naval MiG-29K tornou-se em algum momento o mais avançado avião da RSK MiG, e, portanto, não é surpreendente que, quando os indianos pensaram em reequipar sua Força Aérea com novos caças leves, a RSK MiG, tendo decidido participar da competição, se comprometeu a criar uma nova aeronave baseada no MiG-29K. Então, na verdade, apareceu o MiG-35 / 35D.

Deve-se notar que, aproximadamente ao mesmo tempo, o MiG-29SMT apareceu, mas isso, na verdade, foi um projeto para atualizar as primeiras versões do MiG-29.

Não tenho dúvidas de que os queridos leitores leram muitas vezes que o MiG-35 / 35D é uma aeronave de geração 4 ++, ou seja, em termos de suas qualidades de combate, está próximo da 5ª geração de caças multifunção. Listamos algumas vantagens incondicionais desta aeronave.

A capacidade de instalar um radar AESA

Ao contrário da crença popular, tal radar não dá à aeronave uma enorme vantagem sobre um inimigo equipado com sistemas de radar que possuem um arranjo passivo de fases, mas que, é claro, fornece certa superioridade. Isso Encontra-se no fato de que o radar com AESA não é apenas um meio de detecção, rastreamento e designação de alvos, mas também é capaz de participar de guerra eletrônica, cujo valor no combate aéreo moderno é difícil de superestimar. Em outras palavras, é claro, não é necessário perceber que uma aeronave com um PESA será uma vítima impotente de uma aeronave com AESA de características iguais (em potência), mas certamente dá certas vantagens.

Possibilidade de instalação de motores com vetor de empuxo (TVC) controlados em dois planos

Pode-se argumentar por um longo tempo sobre a necessidade ou inutilidade da super manobrabilidade em um caça moderno, mas dificilmente alguém questionaria a utilidade da manobrabilidade convencional no combate aéreo. A conclusão é que o termo “super manobrabilidade” implica controlabilidade da aeronave em ângulos supercríticos de ataque, mas motores com TVC aumentam a manobrabilidade em ângulos subcríticos e, portanto, é claro, são úteis e necessários.

Arquitetura de equipamentos aberto

Como se sabe, antes do seu aparecimento, os numerosos equipamentos da aeronave eram combinados entre si por meio de “lapidação” individual, e a substituição de qualquer unidade implicava a necessidade de redesenhar o “equipamento em contato” com ele. Em um plano de arquitetura aberta, a conjugação de várias unidades ocorre no nível do programa, e a substituição de equipamentos pode ser comparada a uma atualização de computador da IBM - uma nova peça de hardware em um conector adequado, drivers instalados - e isso é tudo.

Versatilidade

As capacidades dos aviônicos do MiG-35 / 35D lhe proporcionam a capacidade de usar todas as munições de aeronaves em serviço que esta aeronave pode levantar no ar, e a presença de uma modificação de dois lugares torna possível usar o MiG-35D como aeronave de ataque.

Faixa de vôo

Por muito tempo, esse parâmetro foi um verdadeiro “flagelo” da família MiG-29, e aqui está. Ao mesmo tempo, os projetistas da MiG, projetando um caça leve, fizeram dele um bimotor. Isto, é claro, deu ao MiG-29 certas vantagens na relação empuxo-peso, manobrabilidade, capacidade de sobrevivência, etc., mas obviamente resultou em alto consumo de combustível, que por uma aeronave relativamente leve, por definição, não pode ser muito. Assim, o pagamento por características de alto desempenho em batalha tornou-se um curto alcance, e este é um parâmetro extremamente importante para um caça. Embora as informações sobre as batalhas entre o Su-27 e MiG-29 durante a guerra da Etiópia-Eritério não sejam absolutamente confiáveis, mas com base nos dados disponíveis, pode-se concluir que foi um pequeno suprimento de combustível que levou ao MiG-29 a ser derrotado no confronto com seus irmãos mais pesados. ". Simplificando, Os MiG-29 foram forçados a sair rapidamente do campo de batalha, e o Su-27 os atacou enquanto eles tentavam retornar ao aeródromo. Mas no MiG-35 / 35D essa desvantagem foi amplamente nivelada: sua versão única difere do modelo de dois lugares em que o tanque de combustível adicional está localizado no espaço da cabine do copiloto, aumentando o alcance do vôo (não o raio de combate!) Para 3.100 km. No Su-35, esse número é maior, mas não muito - 3.600 km.

MiG-29KUB - "ancestral" do MiG-35 / 35D

Isso foi um resultado alcançado surpreendente , porque o alcance de voo do MiG-29K (individual) não excede 2.000 km? Aparentemente, o aumento no intervalo de uma vez e meia foi o resultado de uma série de atividades, a primeira das quais é facilitar o projeto da aeronave. O fato é que o MiG-29K, sendo um avião de convés, carrega certos equipamentos que o caça terrestre não precisa, por exemplo, o gancho com o qual o “guarda-convés” se agarra ao aerofinisher (gancho de parada) durante o pouso, assim como as asas dobráveis. Além disso, os requisitos para a resistência da fuselagem para aeronaves de convés são maiores, pois durante a decolagem e aterrissagem estão sujeitos a aumento de carga e podem ser enfraquecidos sem comprometer o desempenho, também houve o uso de materiais compósitos mais leves no projeto MiG-35. Assim, Não há dúvida de que os projetistas do MiG-35 conseguiram aliviar significativamente a aeronave, em comparação com seu antecessor de convés, e tudo isso, obviamente, permitiu aumentar as reservas de combustível da aeronave. Também é possível que a fuselagem do MiG-35 / 35D tenha melhorado sua qualidade aerodinâmica, e os novos motores tenham se tornado mais econômicos - tudo isso, em conjunto, levou a um aumento tão drástico no alcance do voo.

Potencial de combate

Será muito difícil determiná-lo em relação a outras aeronaves de combate de propósito similar. Se, por exemplo, compararmos o MiG-35 com o mais novo F-35A americano, projetado para resolver problemas semelhantes na Força Aérea dos EUA, veremos que a aeronave doméstica é um pouco inferior, mas de certa forma superior à sua contraparte no exterior.
Formalmente, a carga de combate do F-35A é maior - 9.100 kg versus 7.000 kg para o MiG, mas a massa útil total, considerando a diferença entre a massa da aeronave vazia e a decolagem máxima, é estranhamente maior para o MiG-35 -18.700 contra 15 929 kg. Isso significa que, em geral, o MiG-35 pode ter mais combustível e munição do que o F-35A. O alcance do MiG-35 é muito mais alto - 3.100 km versus 2.200 km - neste e no outro caso, é claro, sobre o alcance em alta altitude e sem PTB. A velocidade do MiG-35 também excede o "Relâmpago"(F-35) - 2.560 km / h contra 1.930 km / h. Velocidades de cruzeiro parecem ser comparáveis, e são subsônicas para o F-35A e para o MiG-35. As características de desempenho dos equipamentos radioelétricos instalados nos aviões são, na maioria das vezes, classificadas, mas pode-se supor que o radar do F-35A seja superior ao do MiG-35. Além disso, o grau de prontidão de “Zhuk-A” com AESA não é muito claro: pelo menos, hoje não foi instalado em nenhuma aeronave para a Força Aérea da Federação Russa. Embora houvesse relatos de que a Phazotron-NIIR estava totalmente pronto para sua produção em massa desde 2010. Quanto às estações de localização ótica, pode-se apenas adivinhar. No entanto, o OLS era o trunfo tradicional das aeronaves russas, então vale a pena supor que as capacidades do MiG-35 são iguais aqui, e talvez até superem o F-35A.

Deve ser dito que os projetistas do MiG-35 fizeram um ótimo trabalho na redução ao radar e da visibilidade térmica de suas aeronaves. No entanto, é óbvio, pelo menos em parte que o stealth ao radar do F-35 tem uma grande vantagem. Além disso, o F-35A tem a vantagem significativa quanto ao compartimento interno para a colocação de armas, que o MiG-35 é completamente desprovido.

Em geral, talvez, podemos dizer que o F-35A, devido ao seu baixo perfil, é superior ao MiG-35 como um meio de destruir alvos cobertos com forte defesa aérea. Mas, por outro lado, a furtividade do F-35A dura apenas enquanto consegue ficar sem armas em cabides externos, e o tamanho do compartimento interno de armas é relativamente pequeno. Neste caso, a versão biplace do MiG-35D tem uma grande vantagem devido à presença do segundo membro da tripulação - sua importância para uma aeronave de ataque hoje não é questionada por ninguém.

Ao mesmo tempo, na batalha aérea, a vantagem é para o MiG-35 / 35D. Naturalmente, a combinação de alcance de detecção menos perceptível e (provavelmente!) Por radar parece dar ao F-35A uma vantagem inegável. Mas isto é em teoria - na prática, tendo em conta a utilização de todo o espectro de radares modernos, tanto terrestres como aéreos, tendo em conta a presença de estações de detecção de radar passivas altamente eficientes na Federação Russa, etc. etc., e sem ter acesso apropriado aos dados secretos das forças armadas dos Estados Unidos e da Federação Russa, é absolutamente impossível descobrir quanto o F-35A ganhará com sua invisibilidade no confronto hipotético entre os Estados Unidos e a Federação Russa.

Nunca se deve esquecer que os aviões não lutam em um vácuo esférico - um avião moderno nada mais é do que uma parte do sistema geral para detectar, mirar e destruir forças aéreas, terrestres e marítimas. Tal sistema tem uma poderosa sinergia, bem como a capacidade de compensar as deficiências de seus elementos constituintes em detrimento de outros. O MiG-35 tem vantagens inegáveis ​​em comparação com o F-35, associado à boa manobrabilidade, maior velocidade e alcance, e o sistema de defesa aérea do país pode ser capaz de dar essas vantagens. Note também que o F-35A pode realizar suas vantagens apenas como parte de um único sistema - por exemplo, há pouco sentido em falar sobre a invisibilidade do Lightning no combate aéreo se este último operar isoladamente das aeronaves DRLO e EW. Pela razão óbvia.

Em geral, depois de estudar as características de desempenho dos aviões e seus equipamentos de bordo apresentados em fontes abertas, parece que o MiG-35 / 35D na configuração "top" é bastante competitivo para qualquer aeronave estrangeira da 4ª geração, incluindo os mais recentes designs dos EUA com prefixo "Silent" ("Silent Eagle", "Silent Hornet"), que, na lógica da indústria de defesa nacional, receberia o status da aeronave de geração 4 ++. Se o MiG-35 / 35D for inferior à família F-35, o atraso não será fatal e, em alguns aspectos, a descendência do RAC MiG terá uma vantagem sobre o Lightning. 

Mas, se tudo isso é verdade, então por que a idéia de entregas em massa do MiG-35 para as forças Aeroespaciais da Federação Russa está sujeita a críticas muito numerosas?

Argumentos contra

Talvez a primeira coisa que os críticos do MiG-35 prestem atenção é que os aviões da família Su ainda superam o MiG-35 em seu potencial de combate. Isso, em geral, não é surpreendente, já que uma aeronave pesada sempre terá uma vantagem sobre a leve, simplesmente pelo fato de poder acomodar equipamentos mais potentes, e o Su-30SM e o Su-35, ao contrário do MiG-35, são lutadores polivalentes pesados.

Ao mesmo tempo, os críticos do MiG-35 não se esquecem do critério “custo / eficiência” - muitos deles dizem que as piores características de desempenho do MiG-35, em comparação com o mesmo Su-35, poderiam ser compensadas por um preço menor do MiG. Mas não há dados exatos sobre o custo comparativo da aeronave, e os adversários do "trigésimo quinto" fazem uma suposição bastante lógica de que o equipamento do MiG-35 / 35D será a mais nova aviônica que tornará seu preço comparável ao do Su-35. Ou seja, eles concordam que esse preço ainda será menor, mas eles acreditam que eles não são muito menores para compensar a queda nas qualidades de combate da aeronave.

Além disso, é mencionada a necessidade de unificar a frota do VKS. Hoje, já há muitas aeronaves, os Su-34, Su-30SM, Su-35, Su-57 vão para as tropas e se vale a pena “diluir” essa “miscelânea” com outra aeronave que tenha um design completamente diferente, exigindo provisão separada com peças sobressalentes e outras coisas? Também é dito que a presença de caças pesados ​​e leves no VKS é geralmente conceitualmente injustificada para resolver problemas similares, e que a lógica do desenvolvimento de forças aéreas requer uma transição para um único tipo de caça pesado. Além disso, muitos não contam O MiG-35 para a subclasse dos caças leves, considerando-o um elo intermediário entre os veículos médios e pesados. 

vamos tentar ver tudo.

O MiG-35 é leve ou pesado?

Infelizmente, nesta questão a RSK "MiG" mantém um silêncio mortal: no site oficial da organização na seção TTX dessas aeronaves há apenas uma frase misteriosa "A informação está sendo atualizada". No entanto, para ser justo, notamos que, para outras aeronaves da família MiG, a massa vazia geralmente não é dada lá. Bem, em outras publicações, infelizmente, há confusão e duvidas. 

O fato é que, em alguns casos, para o MiG-35, a massa de uma aeronave vazia é de 13.500 ou até 13.700 kg. No entanto, muitas outras publicações dizem apenas cerca de 11.000 kg. Qual delas está certo? Aparentemente, o número é exatamente 11.000 kg. Por exemplo, um artigo foi publicado no site da Russian Aircraft Corporation, no infográfico do qual são exibidas 11 toneladas.
Mas de onde veio essa diferença na interpretação da massa? Aparentemente, este foi o caso. Devido à falta de dados precisos sobre a massa do MiG-35 vazio, os analistas sentiram que não deveria ser menor do que o de seu “ancestral”, o MiG-29K, para o qual em um número de publicações é indicado o peso de 13.5-13.7 t.

Mas esta abordagem está completamente errada. Como mencionado acima, um caça naval de plataforma com sua asa dobrável (e a mecanização necessária para isso), um gancho que se prende à máquina de prender e maiores exigências para a força da fuselagem sempre será muito mais pesado do que seu análogo terrestre. Também é interessante notar que a massa do MiG-29M2 vazio foi de 11 toneladas, e o MiG-29SMT - 11,6 toneladas.Tendo em conta que os materiais também não param, que os aviônicos do MiG-35 foram criados em condições de disciplina rígida e que Os projetistas da aeronave poderiam usar materiais compósitos mais leves, a massa do MiG-35 em 11.000 kg ou algo assim parece bem real.

E o que é hoje para um caça uma massa de 11 toneladas? Este é um pouco mais do que o francês Rafale (10 toneladas) e as últimas modificações do Americano F-16, que pesa até 9,6-9,9 toneladas, e exatamente o mesmo que o Eurofighter-Typhoon europeu (11 toneladas). Mas, por exemplo, o Super Hornet F / A-18E / F é visivelmente mais pesado - 14,5 toneladas.É claro que a diferença entre o MiG-35 e as primeiras modificações do F-15C é relativamente pequena - 11 e 12,7 toneladas, mas é o bom e velho lançamento "Eagle" de 1979. Se tomarmos a modificação moderna do outrora melhor caça da América, o F-15SE "Silent Eagle", que em nosso sistema de classificação deve ser considerado de uma geração de "4 ++", então a massa dessa aeronave (vazia) é de 14,3 toneladas, que é 30 % superior ao MiG-35.

Bem, se você pegar a nova linha de caças americanos da 5ª geração, então o pesado e vazio F-22 pesa 19,7 toneladas, e o relativamente leve F-35A pesa 13.171 kg. Em outras palavras, se o autor está certo em suas suposições, e o peso de um MiG-35 vazio é de fato 11 toneladas, então o MiG-35 continua sendo exatamente um caça leve.

Preço / qualidade

Esta é talvez a questão chave para o MiG-35. Infelizmente, o autor do artigo não pode se gabar com números exatos, mas ainda há, até certo ponto, uma suposição bem fundamentada de que mesmo aqui o MiG-35 está indo muito bem. 

Dois contratos poderiam ser tomados como base para os cálculos: assinado com os índianos em 2010 para o fornecimento de 29 MiG-29K e concluído com os chineses para o fornecimento de 24 Su-35 em 2015. No primeiro caso, o valor do contrato foi de US $ 1,5 bilhão. , no segundo - US $ 2,5 bilhões É necessário entender, claro, que não só a aeronave, mas também o treinamento de pilotos, conjuntos de peças de reposição, manutenção e muito mais - foram incluídos no preço cotado - mas comparando esses contratos, vemos que O MiG-29K custou ao cliente cerca da metade do preço (US $ 51,7 milhões contra US $ 104,2 milhões) do Su-35.

Ao mesmo tempo, não devemos esquecer que o MiG-35 é em muitos aspectos semelhante ao MiG-29K, e devido à falta de equipamento (gancho, mecanização da asa dobrável, etc.) com mesmo nível de equipamento de bordo, seria ainda mais barato que o MiG-29K. É claro que a configuração “superior” do MiG-35 custará significativamente mais do que o MiG-29K, mas há novos aviônicos e motores melhorados, mas quanto isso tudo aumentará o custo da aeronave? Segundo o autor deste artigo, não mais de 30-40 por cento. Como justificativa, deixe-me relembrar que tanto os motores quanto os aviônicos do Su-35 são muito mais modernos que o do Su-30SM, mas a diferença de custo dificilmente excede 25% - por exemplo, naqueles anos, o preço de exportação do Su-30SM foi de US $ 84 milhões.

E agora, se o autor está certo em suas suposições, então, pelo custo de dois Su-35, pode-se comprar três MiG-35 "top" - e isso é uma diferença bastante significativa.
Mas não é só isso. Em geral, o valor não é o preço de compra da aeronave e o custo de todo o seu ciclo de vida, dividido pelo número de horas que essa aeronave pode gastar no ar. E aqui, a julgar pelos relatórios dos projetistas do MiG-35, eles conseguiram alcançar um grande progresso ao reduzir o preço especificado em cerca de metade do preço existente. É indicado que o recurso (tempo de vida) de estrutura é aumentado 2,5 vezes (embora não esteja claro a partir do nível do MiG-29K ou MiG-29M2) o recurso do novo motor é indicado em 4000 horas, o que corresponde às melhores práticas internacionais, etc. Mas, em geral, dados os custos operacionais mais baixos, o MiG-35 pode ser muito mais barato que o Su-35. O autor deste artigo não ficará surpreso se o MiG-35 tiver uma dupla superioridade sobre os caças pesados ​​da Sukhoi no “custo total da hora-a-hora”. Ao mesmo tempo.

Não é a hora do conceito de divisão de caça em leves e pesados?

A julgar pelos dados mais recentes - não, não é hora. Se considerarmos a composição das Forças Aéreas do mundo, veremos que a transição para um tipo de caça multifuncional é feita por países com forças aéreas relativamente pequenas, onde o uso de dois tipos de aeronave é obviamente irracional ou por países que não lutam sozinhos contra seus equivalentes. .

Assim, os EUA, tendo as forças aéreas mais fortes do mundo, mesmo no conceito da 5ª geração, previam a divisão de caças em leves e pesados ​​(F-35 / F-22). Vemos o mesmo nas Forças Aéreas da Índia e da China - pelo menos por enquanto eles não vão abandonar os caças leves em favor dos pesados. A Força Aérea Japonesa, junto com os pesados ​​F-15, tem desde o ano 2000 comissionado o Mitsubishi F-2, baseado nos F-16. A Força Aérea de Israel, que repetidamente confirmou seu alto nível de capacidade de combate, também prefere uma combinação de F-16 e F-15.

Os países europeus da OTAN, como Inglaterra, Alemanha, França, etc., são uma questão diferente. Eles estão realmente tentando fazer com um único tipo de avião de combate, que deveria ser o Eurofighter Typhoon, que é, em essência, um caça leve.
Linda, forte ... Mas leve!

Mas hoje suas ambições políticas independentes não se estendem além da dominação incondicional sobre os países do terceiro mundo, como a Líbia, para a qual as capacidades do Eurofighter ou do Rafale são mais do que suficientes. Bem, no caso de uma "bagunça" séria, os europeus esperam a ajuda do Tio Sam, com sua força aérea de caças pesados.

Quanto à Rússia, puramente teoricamente, é claro, seria melhor ter o VKS, armado com um tipo de caça multifuncional pesado nas versões monoplace e biplace. Infelizmente, tal desejo é comparável ao famoso “melhor ser rico e saudável do que pobre e doente”. Melhor é melhor, mas como conseguir isso? O orçamento da Federação Russa é claramente incapaz de fornecer à VKS um número suficiente de caças pesados, e o número ... Isso, dado o poderio militar de nossos potenciais inimigos, é de grande importância. Estritamente falando, há um fato simples - uma série de tarefas em um conflito moderno que um caça leve é ​​capaz de resolver não pior do que um pesado, então não é racional usar equipamentos pesados ​​em todos os lugares. E enquanto esta afirmação não se tornar obsoleta, os caças leves no sistema de armas das Forças Aeroespaciais da Russia permanecem necessários.

Unificação

Naturalmente, quanto menos tipos de aeronaves no serviço, mais fácil e mais barato é garantir seu suprimento, reparo e assim por diante. E, desse ponto de vista, a oferta maciça de um novo tipo de aeronave, como o MiG-35, é indubitavelmente má. Mas por outro lado ... 

Primeiro, unificar nossas forças armadas para os produtos da Sukhoi não funcionará. O fato é que, como sabemos, há relativamente pouco tempo, nossas aeronaves baseadas em operadoras receberam uma pequena série de MiG-29Ks - e mesmo que você não queira, mas essas aeronaves continuarão em operação nas próximas décadas. É óbvio que hoje, para levá-las e jogá-las em um aterro seria um ato de imenso desperdício. E se você não jogá-la fora, você ainda precisa fornecer, consertar, reparar, etc. e assim por diante.

Assim, o MiG-35, que é amplamente unificado com o MiG-29K e KUB (mais precisamente, KR e KUBR), provavelmente não adicionará qualquer heterogeneidade excessiva, mas pode tornar o fornecimento do MiG-29K um pouco mais barato do que é agora. Apenas devido ao efeito de escala.

Bem, na VKS como um todo ... Hoje já é óbvio que o Su-35 continuará sendo o caça pesado mais massivo por muito tempo, e mesmo quando o número de Su-57 nas fileiras da VKS exceder seu número, o Su-35 será uma parte significativa dos caças pesados ​​do país. Infelizmente, o Su-35 não tem uma modificação de dois lugares, ao invés disso, o Su-30SM é usado, e esta ainda é uma aeronave diferente. A única boa notícia é que as atualizações do Su-30SM seguirão o caminho da unificação máxima de equipamentos com o Su-35. Já é dito sobre a modificação do Su-30 com motores do Su-35 e etc. Mas o Su-34, na opinião do autor deste artigo, acabou sendo supérfluo para o VKS e, teoricamente, seria melhor substituí-lo pelo Su-30SM pelo mesmo valor. Mas os Su-34 já foram comprados e estão servindo, então nada pode ser feito aqui. Assim, com algum comissionamento em massa do MiG-35 nas próximas décadas, a espinha dorsal da aviação tática será Su-57, Su-35 e Su-30, cuja unificação aumentará com o tempo, a família Su-34 e MiG-29KR / KUBR junto com MiG -35 Seis tipos de aeronaves. Pode ser menor, é claro, mas para os mesmos americanos, juntamente com modificações diferentes, e às vezes muito diferentes, do F-16, também servem/tem o F / A-18, F-15 na versão simples e dupla, três versões do F-35 e mais o F-22 Não se deve pensar que, no futuro, os Estados Unidos poderão fazer apenas o F-35 e o F-22, embora sejam quatro aeronaves diferentes - a frota está pensando seriamente no interceptador pesado, e é improvável a aposentadoria do F-15E. Os americanos terão capacidade suficiente para o F-35.

Em geral, não se pode dizer que a adoção do MiG-35 será um desastre para a Rússia. Mas tal ação vai ajudar a RAC "MiG" a permanecer nas fileiras, para manter a equipe central de especialistas para o desenvolvimento de caças multifuncionais de novos projetos, apenas para criar concorrência para o Sukhoi Design Bureau. E, além disso, o potencial de exportação do MiG-35 é, sem dúvida, ótimo, a adoção pela VKS irá melhorá-la muitas vezes, mas todos nós estamos mudando de comércio de hidrocarbonetos para a venda de produtos de alta tecnologia?

2 comentários:

  1. WOW!!! Isto é Matéria Completa! Isto Sim, é que É Informação!!! VLW!!!

    ResponderExcluir
  2. O MiG-35 é um excelente caça,não é atoa que conseguiu seu espaço na força aérea russa que é extremamente exigente...é só lembrar do cancelamento do MiG-1.44, do Yak-141 ou do Su-47 Berkut - elas eram grandes aeronaves mais por um motivoou outro não atenderam ou não eram preciso ter elas na VKS.

    Em relação a Mig,ela sempre custeou com seu próprio orçamento a evolução do MiG-29 e foi assim que ela ganhou o concurso de caça naval indiano e depois o russo,agora novamente emplaca com o MiG-35...dizem as "más línguas" que a aceitação por parte do ministério da defesa da Rússia se deu principalmente pelo alcance incrível da aeronave,muito maior que o de qualquer aeronave similar.

    ResponderExcluir

Post Top Ad

Responsive Ads Here