domingo, 6 de outubro de 2019

Caças da OTAN miraram no bombardeiro russo Su-34

Depois que a Otan decidiu patrulhar o espaço aéreo dos pequenos "tigres do Báltico", o céu sobre o mar Báltico se tornou um local de confronto entre a aviação da Aliança do Atlântico Norte e a Rússia.

Felizmente, esse confronto está até agora limitado a manobras dos aviões de combate das partes e envio de fotos e materiais de vídeo para a rede.


A Força Aérea Belga postou em sua página no Twitter uma fotografia de um bombardeiro russo Su-34, tirado através de uma imagem térmica.

No comentário que acompanha a fotografia, diz-se que, no mês em que a força aérea belga guardava o espaço aéreo do Báltico, eles fizeram 109 missões, com uma duração total de 191 horas.

O registro observa que, durante esse período, o caça F-16 da Força Aérea Belga decolou 16 vezes em alarme e realizou oito interceptações.

O post também observou que os pilotos belgas interceptaram as aeronaves russas Su-34 e Su-24.



Segundo a tradição, em um futuro próximo devem aparecer fotos ou vídeos com fotos de aeronaves de interceptação da Aliança do Atlântico Norte, feitas por pilotos russos.

A propósito, os pilotos russos de combate não ficam à toa: somente durante a semana eles fizeram 27 missões, durante as quais interceptaram ou escoltaram aeronaves estrangeiras perto das fronteiras da Rússia.

Um comentário :

  1. Essa brincadeira de gato e rato nas fronteiras da Russia ainda não vai acabar bem. Para a OTAN claro!

    ResponderExcluir