EUA ameaçam a Gazprom de impor sanções após a conclusão do Nord Stream-2 - Noticia Final

Ultimas Notícias

Acompanhe o Noticia final nas Redes Sociais

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

sexta-feira, 15 de maio de 2020

EUA ameaçam a Gazprom de impor sanções após a conclusão do Nord Stream-2

EUA ameaçam a Gazprom de impor sanções após a conclusão do Nord Stream-2
Caso a Rússia conclua o gasoduto Nord Stream-2, os Estados Unidos imporão sanções que foram aprovadas em dezembro do ano passado. Isto foi afirmado pelo senador do Texas, Ted Cruz, escreve o Conselho do Atlântico.

Segundo o político americano, as sanções ao gasoduto já foram aprovadas e, em seus termos, não há exceções ou interpretações. Cruz enfatizou que não importa como o pipeline será concluído, se for comissionado, a empresa russa Gazprom e outros indivíduos e entidades legais envolvidos estarão sujeitos a sanções.

Se a Gazprom usa o navio Akademik Chersky para concluir a construção, o Presidente dos EUA é obrigado a impor sanções

- disse Cruz.

Anteriormente, foi relatado que o navio russo de colocação de tubos Akademik Chersky chegou ao porto alemão de Mukran, onde está localizado o centro de logística para a construção do NS-2. Atualmente, a embarcação está carregando os tubos necessários para concluir a construção do gasoduto. Também no porto de Mukran está a barcaça russa de assentamento de tubos Fortuna.

Segundo as informações disponíveis, a Gazprom precisa concluir um pouco mais de 130 km do gasoduto. No caso da utilização do navio de construção "AkademiK Chersky" o gasoduto poderá ser concluída antes do final deste ano.

Lembre-se de que em dezembro de 2019, os Estados Unidos impuseram sanções contra empresas envolvidas na construção do Gasoduto. Elas sugerem uma proibição de entrar nos Estados Unidos e congelar os ativos nos Estados Unidos de pessoas envolvidas na "venda, locação, provisão ou assistência no fornecimento" de navios para colocar Gasodutos russos no mar a uma profundidade de 30 metros. Depois disso, os navios que lançavam tubos da empresa suíça Allseas deixaram o Mar Báltico, temendo as sanções.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here