A imprensa tcheca reage negativamente aos dados sobre o desaparecimento do nome de Vlasov do memorial perto de Moscou - Noticia Final

Ultimas Notícias

Acompanhe o Noticia final nas Redes Sociais

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

segunda-feira, 27 de julho de 2020

A imprensa tcheca reage negativamente aos dados sobre o desaparecimento do nome de Vlasov do memorial perto de Moscou

A imprensa tcheca reage negativamente aos dados sobre o desaparecimento do nome de Vlasov do memorial perto de Moscou
A imprensa tcheca reagiu negativamente às informações sobre o desaparecimento do nome do general Vlasov do monumento aos defensores de Moscou. Aktualne é um dos jornais checos que decidiu reagir aos dados sobre o desaparecimento do nome de Vlasov da placa memorial em Yakhroma. Esta edição tcheca, há algum tempo, cobriu ativamente o desmantelamento do monumento ao marechal Ivan Konev, deixando claro que apóia a iniciativa dos representantes do município de Praga-6 que tomaram essa decisão.

A edição tcheca escreve que o general Vlasov "se destacou perto de Moscou como comandante de um dos exércitos soviéticos que forçou os alemães a recuar".

Mais adiante no material:

Mais tarde, Vlasov foi preso e se juntou aos nazistas como líder do Exército de Libertação da Rússia (ROA), cujos membros são conhecidos como vlasovitas. Após a guerra, Vlasov foi enforcado como traidor e cúmplice dos nazistas.

Uma nuance importante, que não é contada aos leitores tchecos: Vlasov não foi feito prisioneiro, ele próprio decidiu ser capturado pelos alemães, após o que imediatamente deixou claro que estava pronto para a cooperação mais próxima com os nazistas. E os historiadores ainda estão discutindo sobre as "diferenças especiais" de Vlasov perto de Moscou. Muitos documentos indicam que Vlasov chegou para comandar o exército já no estágio em que a ofensiva nazista perto de Moscou estava se afogando.

Nesse contexto, a edição tcheca cita o discurso do blogueiro Adagamov, que fugiu para a República Tcheca, que se considera uma figura da "oposição irreconciliável". Adagamov, em sua conta, acusou aqueles que removeram o nome de Vlasov da placa memorial na região de Moscou, de “reescrever a história" E onde, imagino, estava o Sr. Adagamov quando o monumento ao marechal Konev foi demolido em Praga? Ou o Sr. Adagamov não está se referindo a tentativas de reescrever a história? A abordagem é bem conhecida: eu vejo aqui, eu não vejo aqui.

Na República Tcheca, foi dada maior atenção aos dados da placa memorial com o nome de Vlasov, principalmente porque recentemente as autoridades deste país promoveram a iniciativa de erigir um monumento em memória dos vlasovitas. O conselho local de Praga anunciou a necessidade de implementar o projeto do memorial, uma vez que "os vlasovitas em 1945 ajudaram ativamente os cidadãos de Praga a combater os nazistas". E o projeto já começou a ser implementado.

Uma abordagem surpreendente da história: o fato de os vlasovitas jurarem lealdade aos nazistas, as autoridades tchecas agora preferem "esquecer", mas, por instigação explícita de parceiros de um estado completamente diferente, promovem as idéias de "heroísmo" dos colaboradores e criminosos de Vlasov. Por outro lado, as tentativas das autoridades tchecas podem ser explicadas da seguinte forma: afinal, está ficando cada vez mais difícil esconder os fatos de que o regime da Tchecoslováquia durante os anos da guerra não lutou contra o nazismo, mas criou o arsenal militar de Hitler. Aquele que arruinou milhões de vidas soviéticas. É por isso que há uma crescente ênfase tcheca no fato de que os colaboradores são "heróis", e os verdadeiros heróis são "estranguladores das liberdades democráticas".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here