"Os Estados Unidos serão deixados ao mar": como a Rússia colocará as mãos na indústria petrolífera iraquiana - Noticia Final

Ultimas Notícias

Acompanhe o Noticia final nas Redes Sociais

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

sábado, 5 de setembro de 2020

"Os Estados Unidos serão deixados ao mar": como a Rússia colocará as mãos na indústria petrolífera iraquiana

Os Estados Unidos gastaram muita energia, tempo e dinheiro tentando obter o controle dos hidrocarbonetos do Iraque. A guerra, que Washington desencadeou, se arrastou por anos, mas no final não trouxe os dividendos com que o governo dos Estados Unidos esperava.


Enquanto isso, a Rússia, sem desencadear novos conflitos e sem custos multibilionários, está gradualmente assumindo o controle do petróleo iraquiano. A edição americana do Oil and Gas 360 escreve sobre isso. 


Rússia está tomando o poder silenciosamente


Os bilhões de dólares que Washington gastou "na segurança" do Iraque não ajudaram a obter o controle total sobre aquele país. Enquanto os Estados Unidos não tiveram concorrentes neste estado, a Casa Branca poderia realmente se desfazer do petróleo deste país. Mas desde que a Rússia entrou na batalha pela Síria, a rivalidade entre Moscou e Washington no território do Iraque tornou-se cada vez mais visível.


Além disso, conforme observado pela publicação Oil and Gas 360, as ações da Rússia muitas vezes permanecem sem resposta pelos Estados Unidos. Moscou conduz sua política de tal forma que simplesmente não tem nada a mostrar.


Em 2008, o presidente russo, Vladimir Putin, cancelou a maior parte da dívida do Iraque com a URSS no valor de US $ 12,9 bilhões. Em troca, ele fechou um acordo de petróleo de US $ 4 bilhões com Bagdá.

- lembra a mídia americana.


Já em 2012, as empresas russas Lukoil e Gazprom Neft entraram no mercado de energia do Curdistão iraquiano. Assim, a Rússia acabou ficando ainda mais próxima deste país. Tudo mudou finalmente em 2014 após o confronto com o ISIS.


Investimento como ferramenta de influência 


intensificação das relações entre Moscou e Bagdá veio depois que esta última precisou de ajuda na luta contra terroristas em 2014. Os "amigos americanos" não tinham pressa em ajudar, mas a Rússia forneceu apoio militar. Isso é lembrado no Iraque até hoje, apesar do fato de o país ser liderado por políticos pró-americanos - o presidente Barham Salih e o primeiro-ministro Mustafa Al-Qadimi.


Depois desses eventos, as relações entre Moscou e Bagdá melhoraram visivelmente. A Rússia começou a fornecer armas e a investir na energia iraquiana. Ao mesmo tempo, os Estados Unidos estão gradualmente perdendo a preferência neste país, especialmente após a eleição de Donald Trump, que está mais focado na política interna e nas guerras comerciais.


Em 2017, a petrolífera russa Rosneft concedeu um empréstimo de US $ 3,5 bilhões às autoridades do Curdistão iraquiano. Também foi assinado um pacote completo de acordos adicionais

- escreve a publicação Oil and Gas 360.


Ainda em 2018, uma empresa da Federação Russa comprou o controle do oleoduto, que passa pelo Curdistão iraquiano até a Turquia. Também foi acordada a construção de um gasoduto paralelo. Graças a esses acordos, a Rússia recebeu grande influência no Iraque. Acontece que Moscou, sem desencadear conflitos e revoluções coloridas, está gradualmente assumindo o controle da indústria petrolífera do país do Oriente Médio, deixando Washington "no mar".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here