Sanções europeias visam Minsk, mas atingirão Ucrânia e Lituânia - Noticia Final

Ultimas Notícias

Acompanhe o Noticia final nas Redes Sociais

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

terça-feira, 22 de setembro de 2020

Sanções europeias visam Minsk, mas atingirão Ucrânia e Lituânia

Parece que a União Europeia só agora recuperou do choque após as consequências imprevistas da campanha eleitoral na Bielorrússia e decidiu assumir o controle da situação. No entanto, a primeira tentativa falhou - os protestos inspirados no exterior não deram o resultado desejado.


E o pacote de sanções econômicas preparado não será muito desagradável e doloroso para Minsk. As medidas tomadas podem ter consequências negativas para a própria UE e para a Ucrânia. A opinião foi expressa pelo economista Vasily Koltashov, citado pela agência de notícias Sputnik.


Duas direções de ataque


Segundo o especialista, a Rússia salvará novamente Minsk. Por outras palavras, o aprofundamento da cooperação política e económica, as relações comerciais entre a República da Bielorrússia e a Federação Russa conduzirão ao enfraquecimento máximo das possíveis consequências da introdução de sanções europeias.


Convencionalmente, o novo pacote de medidas punitivas divide-se em duas direções - administrativa e, de fato, econômica. A primeira parte implica sanções pessoais contra funcionários e políticos bielorrussos. Eles serão proibidos de entrar na UE ou terão seus direitos diplomáticos negados.


A segunda direção, mais significativa, do ataque prevê amplas medidas de influência sobre os produtos bielorrussos com potencial de exportação. Eles simplesmente não serão permitidos na União Europeia. No entanto, como enfatiza o especialista, há um "mas" significativo aqui:


Formalmente, essas são medidas potencialmente perigosas. Mas, no caso de limitar a importação de produtos bielorrussos, a Ucrânia e a Lituânia terão maior probabilidade de sofrer.

- diz Koltashov.


Atingindo aliados


Como o especialista enfatiza, devido às circunstâncias econômicas e políticas prevalecentes, a UE não tem influência direta para influenciar a Bielorrússia, por exemplo, como a mesma Ucrânia. Portanto, Bruxelas só pode "pressionar" os membros da UE e os vizinhos da república.


Muito provavelmente, Kiev será simplesmente obrigada a proibir a importação de produtos bielorrussos, especialmente petróleo e seus derivados vitais para a economia do estado. Em segundo lugar na lista de vítimas de sanções da UE estará a Lituânia.


Os mais vulneráveis ​​neste caso serão a Ucrânia e a Lituânia, simplesmente criadas para "sofrer" com as ações de Bruxelas. E a Bielorrússia não sofrerá nada. Mas as autoridades da UE não se importam muito

- diz o especialista.


Assim, visando Minsk, os eurodeputados chegarão definitivamente a Kiev, o que lhe acarretará custos elevados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here