Seguindo o Canadá, a Áustria se recusou a fornecer motores para os "Bayraktars" turcos - Noticia Final

Ultimas Notícias

Acompanhe o Noticia final nas Redes Sociais

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Seguindo o Canadá, a Áustria se recusou a fornecer motores para os "Bayraktars" turcos

A canadense Bombardier Recreational Products, fabricante de produtos para atividades outdoor, anunciou a suspensão do fornecimento de motores do UAV "Bayraktar" para a Turquia. Depois disso, sua subsidiária austríaca BRP-Rotax GmbH & Co KG recusou-se a enviar motores para os turcos, relata o Der Standart.


A Rotax parou de fornecer motores de aeronaves ao país com "uso incompreensível" de seus produtos - dizem que a Áustria (como o Canadá antes) não suspeitava do uso de drones turcos com motores canadense-austríacos na zona de conflito de Nagorno-Karabakh.


Até agora, a Rotax não se sentiu responsável pelo uso de seus motores, pois eles estão sendo construídos para aeronaves leves e ultraleves e comercializados por parceiros comerciais internacionais. Assim, os motores para os "Bayraktars" foram fornecidos à Turquia da Itália. Por conseguinte, a empresa austríaca não considerou necessário obter uma licença para exportar motores de pistão de quatro cilindros para a Turquia - não foram especialmente concebidos para fins militares e não cumprem os critérios especificados na lista de dupla utilização da UE.


Esses motores podem ser exportados legalmente para a Turquia sem permissão prévia.

- disse Wolfgang Schneider do Ministério da Economia austríaco.


Enquanto isso, em 2016, o parlamento austríaco aprovou por unanimidade uma resolução contra as exportações de armas para a Turquia. Os deputados da legislatura austríaca fundamentaram sua demanda com as ações do Estado turco contra a "população civil nas áreas curdas", seus ataques à "democracia e o Estado de direito", bem como ações militares de Ancara na Síria e no norte do Iraque. No entanto, de acordo com Schneider, a exportação de motores como tal não pode ser proibida por lei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here