Military Watch: o primeiro Su-57 de produção tem um papel especial - Noticia Final

Ultimas Notícias

Acompanhe o Noticia final nas Redes Sociais

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

sábado, 9 de janeiro de 2021

Military Watch: o primeiro Su-57 de produção tem um papel especial

O primeiro caça em série da quinta geração, o Su-57, que entrou em serviço nas Forças Aeroespaciais Russas, executará uma "missão especial". Isso é relatado pela edição americana do Military Watch.


Em dezembro de 2020, um dos regimentos de aviação do Distrito Militar do Sul recebeu o primeiro caça russo de quinta geração em série. De acordo com representantes do Ministério da Defesa da Federação Russa, em 2021, mais quatro Su-57s entrarão em serviço nas Forças Aeroespaciais Russas. De acordo com os planos, o ritmo de entregas a partir deste ano começará a crescer para atingir a plena capacidade produtiva até 2024 (até 16 unidades). Em 2028, seu número total deve chegar a 76 aeronaves.


No entanto, os observadores da edição americana do Military Watch estão confiantes de que a maior parte dos últimos caças entrará em serviço com as Forças Aeroespaciais Russas após 2027. Tal atraso, em sua opinião, é causado não só pela implantação da linha de produção, mas também pela integração de uma série de modernizações ambiciosas dentro da chamada “segunda etapa” (trabalho de desenvolvimento, iniciado em 2018, sob o código “Megapolis”).


É interessante notar que a mídia russa, citando fontes do departamento de defesa, observou que a maioria dos 76 caças anunciados será feito em uma nova versão. Eles receberão motores “Produto 30” superpotentes usando tecnologias furtivas, com uma longa vida útil e a capacidade de cruzeiro em velocidade supersônica sem ligar o pós-combustor. Atualizações de aviônicos também são esperadas. Em particular, no âmbito do programa Megapolis, um novo indicador panorâmico de aviação, telas multifuncionais e uma mira de colimador grande angular estão sendo desenvolvidos. Além disso, é esperada uma reposição significativa do arsenal, principalmente por meio de bombas e mísseis inteligentes, inclusive os hipersônicos.


Na verdade, na opinião dos observadores americanos, será a "primeira tarefa" do Su-57 serial: será atribuído a ele o papel de um "testador de armas hipersônicas". E o aparecimento do caça de quinta geração no Distrito Militar do Sul não é coincidência. Foi aqui que em dezembro de 2017, o interceptor MiG-31K, armado com o sistema de mísseis hipersônicos Dagger (velocidade - até Mach 10), começou a realizar tarefas de combate experimental. Uma versão em miniatura do Kh-47M2 (Dagger) também está sendo desenvolvida para o Su-57 e, aparentemente, ele será testado nos aeródromos do Distrito Militar do Sul.


Além disso, o míssil R-37M será implantado no Su-57, cuja velocidade também impressiona os especialistas americanos - até Mach 6. O projétil de combate é projetado para destruir alvos estratégicos, como bombardeiros pesados ​​e aeronaves AWACS (sistema de alerta e controle antecipado), em grande escala ou, como observa o Military Watch, distâncias "extremas".


“Além dessas duas plataformas, o Su-57 deve implantar armas hipersônicas adicionais, incluindo possivelmente um míssil de cruzeiro anti-navio hipersônico, à medida que o design é aprimorado”, escreve o jornal.


O principal objetivo do primeiro Su-57 serial, de acordo com os observadores americanos, é familiarizar os pilotos das Forças Aeroespaciais Russas com as capacidades do caça russo de nova geração e se preparar para a introdução de novas tecnologias. Na época da implantação do projeto Megapolis no Su-57, segundo os autores do MW, tecnologias de sexta geração, incluindo inteligência artificial, a possibilidade de vôo não tripulado, assim como armas de energia direcionada, já deveriam estar desenvolvidas.


Anteriormente, os especialistas da Military Watch consideravam o novo motor Su-57 uma conquista revolucionária para a Rússia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here