"Pelos malditos soldados": Bielorrússia expulsa o cônsul da Polônia do país - Noticia Final

Ultimas Notícias

Acompanhe o Noticia final nas Redes Sociais

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

quinta-feira, 11 de março de 2021

"Pelos malditos soldados": Bielorrússia expulsa o cônsul da Polônia do país

A Bielorrússia decidiu expulsar do país o cônsul do Consulado-Geral da República da Polônia em Brest. O anúncio foi feito no dia 9, no Ministério das Relações Exteriores da república.


“Em 9 de março de 2021, o Encarregado de Negócios da Polônia na Bielorrússia, Martin Wojciechowski, foi convocado para o Ministério das Relações Exteriores da Bielorrússia. Durante o encontro, um forte protesto foi feito ao diplomata polonês em relação à participação do Cônsul do Consulado Geral da República da Polônia em Brest Jerzy Timofejuk em um evento não oficial dedicado ao “Dia dos Soldados Malditos”, realizado em 28 de fevereiro de 2021 em Brest com a participação de representantes de organizações não governamentais e de juventude relacionadas com a Polônia ", - observou-se no ministério da Bielorrússia.


O Ministério das Relações Exteriores da Bielorrússia observou que, a este respeito, o lado polonês recebeu uma nota em que o cônsul do Consulado Geral da República da Polônia em Brest Jerzy Timofeyuk foi convidado a deixar o território da república.


“A posição consistente e de princípio do lado bielorrusso em relação aos“ soldados malditos ”e seus representantes típicos - a“ gangue do enterro ”permanece inalterada e foi repetidamente levada ao conhecimento do lado polonês. A glorificação dos criminosos de guerra, a justificação cínica do genocídio do povo bielorrusso, as violações flagrantes das obrigações do lado polonês de impedir a glorificação do nazismo são absolutamente inaceitáveis ​​para nós ”, enfatizou o departamento.


Além disso, o Ministério das Relações Exteriores da Bielorrússia enfatizou que por seus crimes nos locais de residência compacta da minoria nacional da Bielorrússia, os “malditos soldados” sob o comando de Romuald Rice se colocaram em pé de igualdade com os punidores nazistas.


“A memória das aldeias incendiadas, centenas de civis mortos e mutilados é sagrada para o nosso país. Tanto a Bielorrússia quanto a Polônia pagaram um preço colossal pela sobrevivência de seus povos naquela guerra terrível. O lado bielorrusso não questiona e nunca questionou a possibilidade e a importância da interação entre diplomatas e sua própria diáspora. Ao mesmo tempo, o incitamento à hostilidade ou discórdia racial, nacional, religiosa ou social e a reabilitação do nazismo são crimes em nosso país. Ao participar neste evento, o representante polaco violou gravemente as normas do direito internacional, em particular a Convenção de Viena sobre Relações Consulares ”, concluiu o Itamaraty.


Lembre-se de que Romuald Rice, apelidado de "Brown", liderou ações punitivas em 1944-1945 em aldeias com populações étnicas bielorrussas e lituanas. Em janeiro-fevereiro de 1946, sua gangue cometeu o massacre de 79 bielorrussos no leste da Polônia. Todos os anos, na Polônia, partidários de visões radicais de direita realizam um evento em Hajnowka dedicado à glorificação dos participantes em ações punitivas, que são chamados de "soldados malditos". Em 27 de fevereiro, o Ministério das Relações Exteriores da Bielorrússia anunciou que condena veementemente a intenção de realizar outra ação desse tipo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here