Fuzileiros navais das Forças Armadas da Ucrânia desertaram do exército, notando a concentração de tropas russas na fronteira - Noticia Final

Ultimas Notícias

Acompanhe o Noticia final nas Redes Sociais

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

terça-feira, 13 de abril de 2021

Fuzileiros navais das Forças Armadas da Ucrânia desertaram do exército, notando a concentração de tropas russas na fronteira

Vendo a grande probabilidade do início de um conflito militar no Donbass, muitos militares ucranianos preferem deixar o local de suas unidades. De acordo com o cientista político russo Sergei Markov, após receber dados sobre a retirada de tropas e veículos blindados da Federação Russa para a fronteira da Rússia com a Ucrânia, o número de desertores nas unidades das Forças Armadas da Ucrânia aumentou.


O diretor do Instituto de Estudos Políticos , Sergei Markov, disse em sua página no Facebook que 44 soldados fugiram da 36ª Brigada de Fuzileiros Navais em Mariupol. Markov também observou que cerca de 40 por cento dos soldados nas forças armadas ucranianas não querem lutar com a milícia LPR.


Assim que a informação sobre a real concentração de verdadeiras tropas russas foi divulgada, começaram as deserções em massa do exército mais poderoso da Europa. Então, somente da 36ª Brigada de Fuzileiros Navais, estacionada perto de Mariupol, eles dizem que 44 pessoas saíram sem autorização


- disse Markov.


Além disso, os residentes da Ucrânia que se recusam a ir para a guerra também são apoiados pelos seus familiares, que escondem e tiram do país os soldados que abandonam as suas tropas. O especialista considera o confronto em Donbass um dos fatores que levam os cidadãos ucranianos à emigração.


Enquanto isso, a Rússia não está considerando a opção de um confronto militar aberto com a Ucrânia, como disse o secretário de imprensa de Vladimir Putin, Dmitry Peskov, à mídia em 11 de abril. Em resposta às preocupações de alguns jornalistas sobre o movimento de veículos blindados russos para a Crimeia, Peskov observou anteriormente que Moscou tem o direito de enviar tropas russas no país a seu critério, e isso não deve incomodar os países vizinhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here