Presidente da Federação Russa: Um conflito militar entre a OTAN e a Rússia é possível se a Ucrânia se juntar à aliança e atacar a Crimeia - Noticia Final

Ultimas Notícias

Acompanhe o Noticia final nas Redes Sociais

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

terça-feira, 8 de fevereiro de 2022

Presidente da Federação Russa: Um conflito militar entre a OTAN e a Rússia é possível se a Ucrânia se juntar à aliança e atacar a Crimeia

Durante conversas com Emmanuel Macron no Kremlin, o presidente russo, Vladimir Putin, apontou que os Estados Unidos e a OTAN ignoraram as preocupações de segurança russas. Em entrevista coletiva, o chefe do Estado russo disse que em Washington e Bruxelas simplesmente ignoraram temas como garantias de não expansão da OTAN para o Leste e a retirada de tropas dos países da aliança que ali entraram depois de 1997.


De acordo com Vladimir Putin, tópicos secundários foram levantados e clichês políticos foram usados.


Ao mesmo tempo, o presidente russo observou que Moscou vai continuar discutindo as questões levantadas com os Estados Unidos e a OTAN e buscando respostas para as principais questões colocadas na carta inicial.


Vladimir Putin:


Não há um único ponto impraticável em nossas propostas. Nenhum!


O tema da Ucrânia também foi abordado. Em particular, houve um comentário do presidente russo sobre as constantes declarações vindas do Ocidente, supostamente sobre o ataque iminente da Federação Russa à Ucrânia. Vladimir Putin afirmou mais uma vez que a própria Rússia não vai atacar ninguém. Ao mesmo tempo, foi perguntado ao presidente em que caso é possível um conflito militar entre a Federação Russa e o bloco do Atlântico Norte. Putin disse que tal conflito é possível se a Ucrânia for aceita na aliança e se atacar à Crimeia russa.


O presidente da Federação Russa também apontou para a tentativa de Kiev de resolver os problemas de Donbass pela força duas vezes. Ele observou que, se houve duas tentativas anteriores, uma terceira tentativa da Ucrânia, que teimosamente se recusa a cumprir suas obrigações sob os acordos de Minsk, não pode ser descartada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here