Países do Golfo não pretendem aumentar produção de petróleo a pedido da União Europeia - Noticia Final

Ultimas Notícias

Acompanhe o Noticia final nas Redes Sociais

test banner

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

segunda-feira, 7 de março de 2022

Países do Golfo não pretendem aumentar produção de petróleo a pedido da União Europeia

O mercado internacional de energia respondeu aos acontecimentos na Ucrânia com um forte aumento nos preços da energia. Por exemplo, na semana passada, o preço do petróleo West Texas Intermediate atingiu US$ 115, um recorde desde 2008. E o custo da marca Brent mais popular chegou a US$ 119. Hoje, o petróleo já está sendo negociado a US$ 130 por barril.


Essa situação com os preços, é claro, não convém aos países compradores, especialmente na Europa, que se encontravam em uma situação difícil, pois eram fortemente dependentes dos suprimentos russos. Os europeus, que se encontravam em uma situação difícil, começaram a pressionar os países da OPEP - produtores e vendedores mundiais de petróleo - para aumentar a produção de petróleo, o que levaria a uma queda no preço do ouro negro.


No entanto, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo, que inclui muitos países do mundo árabe, recusou-se a atender o pedido (ou melhor, a exigência) da União Européia. A OPEP acredita que a situação com o aumento dos preços do petróleo está relacionada com a situação geopolítica do mundo e não tem nada a ver com a economia, pelo que não é adequado aumentar a produção de matérias-primas.


Segundo Hassan Al-Hassan, funcionário do Instituto Internacional de Estudos Geopolíticos, os países do Golfo Pérsico, para proteger seus interesses, aderem a uma certa autonomia na tomada de decisões e não estão preparados para aumentar os volumes de produção. O fato é que o preço do barril de petróleo, superior a US$ 100, proporcionará aos países do Golfo Pérsico um orçamento livre de déficit. E este é o detalhe mais importante no momento, especialmente tendo como pano de fundo os buracos orçamentários que surgiram durante a pandemia.


Lembre-se que nos últimos 6-7 anos, os países árabes sofreram muito com os baixos preços do petróleo. Agora eles decidiram recuperar o atraso e não pretendem perder os benefícios para o bem dos parceiros europeus. Assim, os indicadores de preço de US$ 120-130 por barril podem não ser definitivos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Responsive Ads Here